Tesouro Direto: juros caem após ata do Copom e falas de Campos Neto no radar

Remuneração máxima dos títulos de inflação caía ligeiramente, de 5,72% para 5,70% ao ano

Leonardo Guimarães

Publicidade

Os juros dos títulos do Tesouro Direto operam em queda nesta terça-feira (6). Os destaques de hoje vêm do Banco Central, com a ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do BC), o relatório Focus da semana e falas de Roberto Campos Neto, presidente da autarquia.

Na última reunião do Copom, o grupo avaliou que a inflação ao consumidor e a atividade econômica desaceleram em ritmo antecipado pelo BC. Porém, os membros do Comitê ainda querem observar se o aumento da renda das famílias, reflexo da elevação do salário-mínimo, pode atenuar a desaceleração da economia, tema que faz o Banco Central adotar cautela. 

Para Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, as taxas de inflação estão desacelerando em todo o mundo, puxadas por quedas nos preços de alimentos e energia. No entanto, ele ainda destacou, nesta terça-feira, que os núcleos de preços nas maiores economias seguem em patamares muito altos, especialmente pela pressão nos preços de serviços. 

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Boletim Focus desta semana, divulgado hoje pela manhã pelo Banco Central, não trouxe alterações na comparação com as estimativas da semana passada. A projeção do IPCA em 3,81% em 2024 e em 3,50% para 2025, 2026 e 2027. Para o PIB, a estimativa se manteve em 1,60% neste ano e em 2% de 2025 a 2027. 

No Tesouro Direto, as taxas dos títulos de inflação caíam na primeira atualização do dia, às 9h26. O Tesouro IPCA+ 2029 pagava 5,49% ante juro real de 5,51% na véspera. Já o papel com vencimento em 2035 tinha rentabilidade real de 5,56% contra 5,59% ontem. A taxa do Tesouro IPCA+ 2045 caía de 5,72% para 5,70%. 

Nos prefixados, o movimento também era de queda, com a taxa do papel para 2033 recuando de 10,66% para 10,62%, enquanto a do Tesouro Prefixado 2027 caía de 10,72% para 10,68%. 

Continua depois da publicidade

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na manhã desta terça-feira (6):