Renda fixa

Tesouro Direto: confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta sexta-feira

Investidores monitoraram proposta da nova CPMF no Brasil e ficaram atentos a possíveis estímulos econômicos nos Estados Unidos

moeda de R$ 1 notas de R$ 50 e R$ 100 real dinheiro
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As taxas pagas pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto apresentavam queda na tarde desta sexta-feira (25).

O título prefixado com vencimento em 2023 pagava uma taxa de 4,33% ao ano, ante 4,36% a.a. na quinta-feira (24). O prêmio pago pelo mesmo papel com juros semestrais e prazo em 2031, por sua vez, cedia de 7,39% para 7,35% ao ano.

Entre os papéis indexados à inflação, o com vencimento em 2026 oferecia um prêmio anual de 2,63%, abaixo dos 2,69% pagos anteriormente. Já o juro pago pelo mesmo papel com prazo em 2045 recuava de 4,02% para 3,93% ao ano.

No câmbio, o dólar operava em alta de 0,7% ante o real, cotado a R$ 5,55, por volta das 16h15.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta sexta-feira (25):

Fonte: Tesouro Direto

Ambiente doméstico

No Brasil, os mercados monitoraram as informações de que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pode aceitar a nova CPMF em troca do apoio do governo ao seu projeto de reforma Tributária.

Apesar de ainda ser contra o novo imposto, Maia daria ao governo a chance de convencer os parlamentares de que esse imposto é menos prejudicial do que os atuais sobre a folha de pagamento.

Leia também:
Impasse sobre Renda Brasil persiste no governo, mas respeito ao teto de gastos avança

Ainda no âmbito doméstico, integrantes do governo pediram ontem a suspensão da votação sobre a prorrogação do seguro-desemprego para quem foi demitido durante a pandemia da Covid-19. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, a equipe econômica não é contra a medida, mas solicitou um prazo de 15 dias para apresentar uma nova proposta.

Também chamou atenção um projeto de lei apresentado pelo Judiciário ao Congresso, permitindo tirar mais de R$ 500 milhões do teto de gastos.

Novo pacote de estímulos no radar

No exterior, a atenção recaiu sobre os Estados Unidos, com o mercado aguardando notícias sobre o difícil acordo entre democratas e republicanos por novos estímulos econômicos.

Segundo a rede CNBC, os democratas estão preparando um pacote de US$ 2,4 trilhões que pode ser votado na semana que vem. A medida incluiria apoio a empresas aéreas e maior auxílio-desemprego, mas o valor é bem maior do que os republicanos disseram apoiar.

Ainda na cena internacional, a segunda onda de contaminações pelo coronavírus na Europa segue causando preocupações entre os investidores, uma vez que poderia levar à volta dos lockdowns na região.

Do Zero ao Gain: intensivo gratuito de 4 dias com André Moraes ensina como extrair seu primeiro lucro na Bolsa. Clique aqui para se inscrever