Rodrigo Azevedo, da Ibiúna: “Não é o momento de operar de peito aberto”

Em entrevista, ex-diretor do BC falou sobre os principais investimentos dos fundos da gestora

Equipe InfoMoney

Publicidade

SÃO PAULO – O investidor que usar as métricas anteriores à crise provocada pela pandemia do coronavírus para decidir onde colocar seu dinheiro vai achar que o mercado está cheio de oportunidades. O momento, porém, é diferente: é de cautela e avaliação cuidadosa do cenário.

A análise foi feita por Rodrigo Azevedo, sócio da gestora Ibiúna e ex-diretor do Banco Central, durante entrevista transmitida no Youtube do InfoMoney (veja a entrevista completa no link acima).

“Não é o momento de operar de peito aberto”, afirmou. Nem de “queimar a largada”.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Os fundos multimercado da Ibiúna estão investindo principalmente nos mercados de juros, apostando na redução das taxas em países como Brasil e México.

Em março, havia uma posiçao “comprada” em dólar (na expectativa de que a moeda americana fosse valorizar), que foi reduzida agora.

Para Azevedo, as ações parecem baratas, mas isso só vai ficar claro quando houver menos incerteza sobre como será a retomada da economia.

Continua depois da publicidade

A entrevista é a primeira da série VRB Talks, que está sendo organizada pelo fundo VRB em parceria com InfoMoney, XP Investimentos, UBS Consenso, Tera Capital e a Turim MFO.

Nas próximas semanas, também como parte dessa iniciativa do VRB, haverá lives com alguns dos principais gestores de fundos do país, entre eles, Rogério Xavier (SPX), Marco Aurelio Freire (Kinea), Florian Bartunek (Constellation), Mauricio Bittencourt (Velt), Waldir Serafim (Navi) e Fábio Spinola (Apex). Todas elas serão transmitidas no Youtube do InfoMoney.