Reavaliações patrimoniais dos FIIs elevam em até 15% valor justo dos imóveis

As avaliações são apontadas como uma espécie de gatilho para destravar valor dos fundos

Wellington Carvalho

Publicidade

Reavaliação dos imóveis do Vinci Shopping Centers (VISC11) elevou o preço considerado justo dos espaços em 12,7%, de acordo com laudo da Cushman & Wakefield. O ajuste no valor contábil dos ativos é apontado como um gatilho para a valorização dos fundos imobiliários em 2024.

De acordo com a Instrução CVM 516/11, os FIIs são obrigados a realizar, pelo menos uma vez ao ano, a avaliação dos imóveis do portfólio. O procedimento serve para que o fundo consiga estimar de forma profissional e atualizada o seu valor patrimonial – que representa a soma dos ativos menos suas obrigações financeiras.

“Apesar de não impactar diretamente a marcação dos ativos no mercado secundário, a reavaliação causa um efeito psicológico importante pela sua ancoragem como um proxy (referência) de valor justo dos ativos”, explica Jefferson Honório, sócio da Brio Investimentos. “Espera-se uma reprecificação positiva dos ativos dos fundos imobiliários, especialmente no segmento de shopping”, projeta.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

A reavaliação dos imóveis do VISC11 confirma a expectativa do gestor. De acordo com o fundo, a recente análise resultou na variação positiva de aproximadamente 16,4% no valor patrimonial da cota da carteira em relação à cotação do dia 30 de novembro de 2023.

Leia também:

O que explica o otimismo com as reavaliações patrimoniais

Os valores patrimoniais dos imóveis foram bastante prejudicados nos últimos dois anos por conta do cenário de juros elevados – que reduzia a atratividade dos espaços na comparação com a renda fixa, por exemplo.

Continua depois da publicidade

“Sem uma taxa terminal definida para o ciclo de cortes da Selic, não devemos esperar nada exageradamente alto das reavaliações”, avalia Marcos Baroni, head de análise de FIIs da Suno. “Mesmo assim estou otimista com este período que pode destravar valor para os fundos imobiliários”, completa.

Na semana passada, a reavaliação do patrimônio do FII CSHG Logística (HGLG11) elevou o preço considerado justo dos imóveis do fundo em 4,11%. Em 2022, a análise havia apontado aumento de 8,45%.

Leia também:

Outras reavaliações

O preço justo dos imóveis do Suno Log (SNLG11) foi elevado em 15% de acordo com laudo da Colliers Technical Services. Em comunicado ao mercado nesta sexta-feira (29), a carteira informou que o resultado “totaliza variação positiva de aproximadamente 64,05% no valor patrimonial da cota”.

Já a remarcação do valor contábil dos ativos do Autonomy Edifícios Corporativos (AIEC11) reduziu o patrimônio do fundo em R$ 53,4 milhões – um decréscimo de 12%.

Os FIIs XP Malls (XPML11) e The One (ONEF11) realizaram a reavaliação patrimonial no início do segundo semestre e reforçam o otimismo do mercado. Nos dois casos, o procedimento elevou o preço justo dos imóveis dos fundos em 13%. 

Leia também:

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.