Podcast Outliers

Quais são as oportunidades nos fundos de infraestrutura? Tulio Machado, da XP Asset, explica

Convidado do último episódio do Outliers, Machado explicou como funcionam esses investimentos, que são isentos de Imposto de Renda

Por  Clara Sodré -

Os fundos de infraestrutura têm se revelado uma classe de ativos atraente para quem busca retornos de longo prazo com isenção de Imposto de Renda. O assunto foi tema do último episódio do podcast Outliers, que recebeu Túlio Machado, sócio e responsável pela área de fundos de infraestrutura da XP Asset.

Machado chegou ao mercado financeiro pela via das fusões e aquisições e pelo universo de private equity, trabalhando junto a uma gestora americana. Ele conheceu o segmento infraestrutura em 2012, por meio de seu mandato no private equity.

Com mais de dez anos de experiência no segmento, o gestor destaca a pluralidade da temática de infraestrutura, que abrange diversos setores, como energia elétrica, transporte, telecomunicações, educação, saúde, entre outros.

Machado conta que, na infraestrutura, é necessário avaliar os marcos regulatórios e a estabilidade de cada setor. Do ponto de vista dos riscos, sua visão é de que o setor elétrico é razoavelmente estável, em especial o nicho da transmissão, com receita e geração de caixa previsíveis.

O gestor elenca o risco de demanda como um ponto de atenção. No setor de transportes, por exemplo, rodovias, aeroportos e portos podem apresentar instabilidade de utilização, a depender do tamanho e do crescimento da região em que estão localizados.

“Se a economia da região cresce mais e tem mais movimentações de carga, melhor será para o segmento de transportes”, diz Machado.

O gestor cita o período da pandemia como de alto risco para o setor de transportes, justamente pela queda de movimentação, especialmente nos aeroportos, o que afetou a previsibilidade de receita.

Em relação às alternativas de investimentos em infraestrutura, Machado explica as diferenças entre os FIP-IE e os FI-Infra, que possuem modelos e regulamentações distintas. Os FIP-IE são fundos de investimentos em participação de infraestrutura, tanto em dívida quanto em participações societárias (equity). As últimas são as mais comuns.

Já os FI-Infra são fundos incentivados de infraestrutura para renda fixa e crédito, modalidade que cresceu relevantemente nos últimos anos, quando os fundos de investimentos 555 (fundos de investimentos comuns de crédito) passaram a poder ser listados na Bolsa.

Investimento isento

Como forma de incentivar os investidores a aplicarem recursos na infraestrutura, que demanda uma elevada alocação de capital, Machado conta que a isenção de Imposto de Renda traz uma grande atratividade para investimentos nesses fundos.

Disponíveis na Bolsa, o gestor conta que o investidor que realiza aplicações nos FIP-IE e FI-Infra conta com isenção de IR na distribuição de renda (dividendos e rendimentos) e no ganho de capital (obtido com a valorização das cotas na Bolsa).

O gestor ainda faz um paralelo com os fundos imobiliários, segmento relativamente mais maduro em relação ao de infraestrutura. Em termos de magnitude, no entanto, existem semelhanças consideráveis, como o foco em renda, segundo Machado.

“Os FI-Infra estão para os FIIs de papéis, bem como os FIP-IE estão para os fundos de tijolo”, comparou.

Em relação às diferenças dos fundos de infraestrutura para os fundos imobiliários, Túlio conta que a isenção de IR para ganho de capital só existe nos fundos de infraestrutura. Além disso, a distribuição de dividendos, que costuma ocorrer mensalmente em FIIs, pode ter a mesma recorrência nos FI-Infra, mas não nos FIP-IE. Nesse caso, ela costuma ser trimestral, semestral e, em alguns casos, anual.

O Outliers é apresentado por Samuel Ponsoni, gestor de fundos da família Selection na XP, e Carol Oliveira, coordenadora de análise de fundos da XP.

A entrevista completa e os episódios anteriores podem ser conferidos por SpotifyDeezerSpreakerApple e demais agregadores de podcasts. Além disso, o podcast também está disponível no formato de vídeo no canal da XP no Youtube.

Compartilhe