Milionários

Os investimentos preferidos dos milionários em todo mundo

O estudo foi apresentado no Relatório sobre a Riqueza Mundial 2013

mercados internacionais

SÃO PAULO – O Relatório sobre a Riqueza Mundial 2013, desenvolvido pela Capgemini com o RBC Wealth Management, apresentou os investimentos preferidos dos milionários em todo o mundo.

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

Em escala global, a maior parte (28,2%) daqueles que possuem mais de US$ 1 milhão disponível para investimentos preferem aplicar seu dinheiro em Disponibilidades/Depósitos. Logo atrás vem o investimento em ações, que é o preferido por 26,1% dos milionários. Em terceiro lugar ficou o investimentos em imóveis (20%), seguido das aplicações em renda fixa (15,7%). Por fim, ficaram os investimentos alternativos, escolhido por 10,1%.

PUBLICIDADE

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

O estudo ainda mostra a preferência dos milionários em cada continente, dividido da seguinte forma: América do Norte, Ásia-Pacífico (exceto Japão), Japão, Europa, América Latina e Oriente Médio/África.

Na América Latina, o investimento em imóveis foi o que teve a maior fatia, visto que foi onde 30,1% dos milionários do continente aplicaram seu dinheiro. Em seguida, aparecem disponibilidades e depósitos (27,6%), renda fixa (16,8%), investimentos alternativos (13,1%) e, por último, ações (12,5%).

O documento ainda mostrou que o patrimônio global dos investidores chegou a US$ 46,2 trilhões, com uma alta de 10% em relação ao ano anterior e acima do recorde de anterior (US$ 42,7 trilhões em 2010). A Região com maior crescimento foi a da Ásia (12,2%), seguida pela América do Norte (11,7%). De acordo com o relatório, os milionários se preocupam mais em conservar seu patrimônio do que ampliá-lo.

Bolsa de valores: América do Norte X América Latina
Enquanto o investimento no mercado acionário ficou em último na América Latina (12,5%), foi o preferido dos nossos vizinhos do norte. O estudo mostrou que 37,2% dos norte-americanos, canadenses e mexicanos investem em bolsa. Os três países, paralelamente a isso, também são os que mais investem em renda fixa, quando comparado com todas as outras regiões.

A discrepância exacerbada em relação ao mercado de renda variável é plausível se analisarmos o histórico recente da principal bolsa de cada uma das regiões. Ao mesmo tempo em que os mais importantes índices norte-americanos, S&P 500, Dow Jones e Nasdaq, bateram seus recordes históricos neste ano, com altas acumuladas expressivas, o Ibovespa, principal índice da Bovespa, já acumula uma queda anual de quase 20%.