Fundos de Pensão

Operação da Polícia Federal prende empresários por fraudar fundos de pensão municipais

A "Operação Fundo Falso" desarticulou uma organização criminosa que fraudou mais de 100 fundos de pensão de servidores municipais em todo o Brasil

SÃO PAULO – Na madrugada desta terça-feira (11), a Polícia Federal deflagrou a “Operação Fundo Falso” para desarticular uma organização criminosa que fraudou mais de 100 fundos de pensão de servidores municipais em todo o Brasil. A longo prazo, os prejuízos dessas aplicações poderiam comprometer o recebimento de aposentadorias pelos servidores que contribuíram com os fundos.

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

De acordo com o site da Polícia Federal, foram cumpridos sete mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão, em São Paulo e São José do Rio Preto. Cerca de 60 Policiais Federais participam da ação.

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

As investigações tiveram início em 2012, após uma série de auditorias do Ministério da Previdência constatar fraudes nas aplicações das contribuições dos servidores.

O grupo criminoso constituiu uma empresa de consultoria financeira que deveria indicar as melhores opções de investimento aos fundos de pensão. Ao invés disso, os investigados destinavam os recursos dos fundos a aplicações temerárias em troca de comissões ilícitas pagas por operadores do mercado financeiro.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de organização criminosa, gestão fraudulenta, fraude em licitação, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, cujas penas variam de um a 12 anos de prisão.