OGX

OGX quebra barreira psicológica e chega a valer centavos; o que esperar do papel?

De acordo com João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos, é importante ficar atento, pois o papel pode cair ainda mais

SÃO PAULO – A OGX (OGXP3), empresa do grupo EBX, de Eike Batista, com a quinta maior participação no Ibovespa (3,245%), quebrou uma importante e perigosa barreira psicológica nesta quinta-feira, chegando a valer apenas R$ 0,98 no intraday.

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

Os papéis da companhia de petróleo já chegaram a valer R$ 23,39, em outubro de 2010, com o preço atual representando uma queda de 95,81%, em menos de três anos.

PUBLICIDADE

De acordo com João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos, é importante ficar atento, pois o papel pode cair ainda mais. “Da mesma forma como o mercado exagerava pra cima, com a empresa sem produzir nada valendo mais de R$ 20, agora eles exageram para baixo”, afirmou.

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

Para ele, não tem como prever o que vai acontecer com as ações da OGX daqui para frente, pois a volatilidade do papel é muito alta. “Quando o papel estava a R$ 1,50, eu já achava a queda dele muito exagerada, mas não tem como remar contra o movimento.”

Os investidores estrangeiros estão vendendo OGXP3 com força há alguns meses e, ainda segundo o analista, quem está comprado não deve vender o papel nesse patamar, pois a queda é exagerada demais. “Isso não significa que o papel vai subir muito e muito menos voltar a patamares anteriores, pois com a volatilidade elevada da forma como está, ele pode cair ainda mais, porém, é bom esperar, porque qualquer mudança de percepção pode ter uma reversão muito grande. Têm movimentos de alta que fazem investidores vendidos estopar posições, resultando em grandes valorizações do papel. Mas a volatilidade irá permanecer”, afirmou.

“Grupo EBX: Falta produtividade, falta estrutura”
Segundo o analista-chefe da SLW corretora, Pedro Galdi, depois que essas empresas entraram em um campo de total especulação, não tem mais como defender esses papéis. “Eles passaram a ser muito vendidos, porque como muitos sabem que vai cair mais, ninguém vai comprar, a não ser que seja para especular, fazer um day trade, ou seja, o papel perde todo o referencial”, disse.

“Todas as ações do grupo EBX são assim, se o mercado cai um pouco, eles despencam. Falta produtividade, falta estrutura. O investidor que comprou esse papel tinha que ter a consciência que ele é totalmente especulativo e não vai oferecer um retorno satisfatório a longo prazo de forma alguma. Para investimento especulativo, até pode dar um pequeno lucro, mas por fundamento, não tem chance alguma de o investimento ser bem sucedido. OGXP3 e OSXB3 têm 77% de queda no ano, MMXM3 68% de queda no ano, LLXL3 tem 50%, MPXE3 tem 20%. Ou seja, o mercado escolheu esses papéis para castigar mesmo, porque são empresas que não dão resultado e estão se endividando cada vez mais”, completou o analista-chefe.

PUBLICIDADE

Preço justo da OGX? “Já tem lugar colocando a R$ 0,70”
O analista da SLW lembra que algumas casas de análises já colocaram o preço justo de OGXP3 a R$ 0,70 (Deutsche Bank) e ela pode vir a valer ainda menos que isso. Não existe um limite, já que ela vem quebrando barreiras atrás de barreiras. “É fuga de capital. Se a empresa não tem fundamento para defender, ela vai embora mesmo. Se você comprou esse papel, assuma o prejuízo, pois ele não vai voltar aos patamares anteriores de jeito nenhum”, afirmou.

Já para Brugger, qualquer previsão de preço não passa de chute e especulação. “Você tem que ter critérios para fazer uma análise de preço justo e esses critérios se baseiam em receita, análise de múltiplos, entre outros, mas como a empresa ainda é pré-operacional fica impossível fazer essas análises. Qualquer preço alvo é totalmente especulativo”, finalizou.