Em onde-investir

Número de brasileiros que conseguiram green card salta 28%; EB-5 é destaque

Instabilidade política e econômica? Saiba o que faz com que brasileiros invistam US$ 1 milhão nos Estados Unidos 

Green Card
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Um estudo realizado pela Travel.State.Gov (Departamento de Estado Americano) e analisado pela consultoria Elite International Realty, mostra que o número de brasileiros que receberam green card teve aumento de 33% entre 2016 e 2018. Entre 2017 e 2018, o salto foi de 27,7%. 

Este cartão garante residência permanente nos Estados Unidos, deve ser renovado de 10 em 10 anos e assegura direitos como trabalhar, abrir um negócio, receber Previdência Social e usufruir de educação e de outros serviços públicos.

Em 2016, cerca de 3.310 vistos foram concedidos a brasileiros, número que subiu para 3.366 em 2017. Já em 2018, foram nada menos de 4.300 brasileiros agraciados.

Jania Braswell, advogada especializada em imigração, explica que o consulado americano não mudou a maneira como avalia os processos de solicitação de vistos: a política para aprovação atual é a mesma de 2016.

No entanto, o número de brasileiros que solicita o cartão cresceu muito - e isso aumentou também o número de brasileiros que recebem a residência.

“O primeiro motivo para isso é a instabilidade política e econômica presente no Brasil. Em contraponto, a economia dos Estados Unidos está vivendo um momento maravilhoso, então todo mundo quer emigrar”, diz a especialista. Vale lembrar que o desemprego dos EUA chegou a 3,6% com uma criação de vagas muito acima do esperado em abril

Dos tipos de green cards que um cidadão brasileiro pode solicitar, o EB-5 foi o mais concedido. “Quando analisamos especificamente o este tipo, percebemos que o aumento foi ainda mais expressivo, cerca de 38% [entre 2016 e 2018]”, explica Braswell.

Para conseguir um EB-5 é necessário fazer investimento de US$ 500 mil em áreas rurais, com alto desemprego, ou de US$ 1 milhão em áreas urbanas. Ao menos 10 empregos devem ser gerados, e o empresário deve provar a origem e trajeto de seu dinheiro.

Segundo a advogada, a maioria das pessoas investe no centro regional e em entidades comerciais privadas aprovadas pelo Governo Americano. No entanto, também é permitido que o empresário abra o seu negócio próprio.

“Em relação às projeções para 2019, a tendência é de que continue aumentando o número de vistos concedidos em comparação ao ano passado”, afirma a especialista.

Invista seu dinheiro e realize o sonho de morar fora do Brasil! Abra uma conta gratuita na XP.

 

Contato