EUA movem US$ 2 bi em Bitcoin e geram temor de novo sell-off da criptomoeda

Os EUA são o 6º maior detentor de Bitcoin do mundo, com 207.189 unidades que valem aproximadamente US$ 13,8 bilhões

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

O governo dos Estados Unidos transferiu 30.175 unidades de Bitcoin (BTC) na manhã de terça-feira (2) para uma carteira na exchange Coinbase, segundo a empresa de inteligência Arkham Intelligence. O montante é o equivalente a US$ 2 bilhões, conforme a cotação da criptomoeda na manhã de hoje, em US$ 66 mil.

Os ativos digitais são vinculados aos fundos confiscados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos do Silk Road, antigo mercado de produtos ilegais da dark web que aceitava criptomoedas como pagamento.

As autoridades norte-americanas confiscaram 69.370 Bitcoins do marketplace em 2020. Na época, o governo disse em comunicado que “a apreensão representa o maior confisco de criptomoeda da história” do órgão.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A transferência de criptos para exchanges sinaliza uma possível venda. A última vez que o governo dos EUA adotou tal estratégia foi no final de 2022, quando se desfez de 9.861 moedas digitais, avaliadas em US$ 216 milhões na época.

Os EUA são o sexto maior detentor de Bitcoin do mundo, com 207.189 unidades da criptomoeda, que valem aproximadamente US$ 13,8 bilhões. O país só perde para a empresa de capital aberto Microstrategy (MSTR), a exchange Binance, duas gestoras de ETFs (fundos de índice) e Satoshi Nakamoto, criador e maior detentor da moeda digital.

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney