Em onde-investir

Anbima: previsão de menor crescimento global afeta desempenho dos fundos

Os fundos cambiais registraram alta de 6,43% em março, enquanto os fundos de ações apresentaram desempenhos mistos

ilustração cifrão e globo
(Getty Images)

SÃO PAULO - As expectativas de redução do ritmo de crescimento global impactaram no preço dos ativos – principalmente ações e câmbio – e, consequentemente, refletiram no desempenho dos fundos de investimento no mês passado. A conclusão é dos economistas da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) e foi divulgada na publicação Panorama.

“Ao contrário do observado nos dois primeiros meses do ano, quando o Ibovespa (principal índice da bolsa paulista) subiu e o real se valorizou, em março aconteceu o inverso, ainda que em menor intensidade”, afirma a publicação. No terceiro mês do ano, o índice recuou 1,98% e o dólar teve valorização de 6,1%.

Com isso, os fundos cambiais registraram alta de 6,43% no mês, o melhor da indústria de fundos. Entretanto, o desempenho não foi suficiente para reverter o desempenho negativo acumulado no ano.

Os fundos de ações, por sua vez, tiveram desempenhos mistos. Enquanto os fundos Ibovespa Ativo, por exemplo, recuaram 0,79% em março, os fundos Ações Dividendos registraram alta de 3,45%.

Captação dos fundos
De acordo com a Anbima, a indústria de fundos de investimento registrou recorde de captação (diferença entre depósitos e saques) em março, com R$ 41,3 bilhões - ou 2,1% do patrimônio líquido. Com isso, o patrimônio líquido dos fundos brasileiros superou o patamar de R$ 2 trilhões.

Os fundos Referenciados DI registraram a maior captação líquida da indústria no mês, de R$ 19,661 bilhões. A entidade ressalta que o resultado foi influenciado pelo aporte “extraordinário” no valor de R$ 21,8 bilhões em um fundo da categoria.

“É importante destacar, todavia, que a forte captação em um único fundo da categoria referenciado DI possui motivação específica, tratando-se de motivação atípica em uma conjuntura de queda da taxa básica de juro”, diz a Anbima.

Já a captação dos fundos de ações ficou negativa em R$ 195 milhões, diferença entre R$ 2,4 bilhões aplicados e R$ 2,596 bilhões retirados destes fundos no mês.

 

Contato