Conteúdo editorial apoiado por

Microsoft, Google, Nvidia: veja as 8 ações globais mais recomendadas para junho

Confira os papéis mais citados entre 65 ações sugeridas por nove casas consultadas pelo InfoMoney

Lucas Gabriel Marins

Logo da Nvidia (REUTERS/Dado Ruvic/Ilustração/Arquivo)

Publicidade

Os principais índices de Wall Street renovaram suas máximas históricas ou operaram perto dos recordes em maio, puxados principalmente pelos balanços positivos das big techs e por dados moderados da atividade econômica nos Estados Unidos.

Diante desse cenário, não deu outra: as gigantes da tecnologia foram as mais citadas nas carteiras de ações internacionais para junho, montadas por nove casas de análises. No total, 65 papéis foram mencionados, mas somente aqueles com pelo menos três recomendações foram considerados nesta compilação do InfoMoney.

Assim como no mês passado, a Microsoft (MSFT) foi a empresa que mais recebeu “likes” das instituições: cinco no total. Fernando Siqueira, head de research da Guide Investimentos, disse que vale ter a companhia no portfólio porque ela “é a maior produtora de softwares do mundo por faturamento e uma das empresas mais valiosas do planeta”.

Continua depois da publicidade

As teses de investimento para a gigante tech continuam as mesmas do início do ano, de acordo com o BTG Pactual. São elas: integração dos aplicativos de inteligência artificial em seus produtos, como o Microsoft Office e o sistema de busca Bing; lançamento de aplicativos e soluções de realidade virtual; e ciclo de crescimento focado em computação na nuvem via Azure.

A criadora do Windowns, porém, divide o pódio deste mês com a Alphabet (GOOGL), dona do Google. A empresa, comandada pelo executivo norte-americano Sundar Pichai, também recebeu cinco recomendações, sendo uma delas da equipe da Ágora Investimentos.

Segundo analistas da casa de investimentos, a Alphabet não só domina o setor de publicidade digital, mas também diversifica suas receitas com o Google Play e YouTube, bem como com os novos serviços Google Fiber (que oferece internet mais veloz) e Waymo (empresa de desenvolvimento de tecnologia para carros autônomos). Tudo isso “posiciona a empresa na vanguarda tecnológica”, escreveram.

Continua depois da publicidade

Além das big techs

Não foram apenas as empresas de tecnologia que apareceram nas carteiras. O JPMorgan (JPM), que registrou lucro líquido de US$ 13,42 bilhões no primeiro trimestre de 2024, foi mencionado por três casas. “A ação (do JPMorgan) tende a ser defensiva, uma vez que a empresa se sobressai ante os pares em momentos de estresse, e é uma sólida pagadora de dividendos“, disse a XP Investimentos em relatório.

A Eli Lilly (LLY) e a Alibaba (BABA) também foram recomendadas por três instituições. A empresa farmacêutica entrou na lista porque vem desbravando “uma avenida de crescimento substancial” com os fármacos Mounjaro (para diabetes tipo 2) e Zepbound (para obesidade), segundo o Santander. Já a varejista chinesa está impulsionando a transformação digital do comércio global, segundo a XP.

Veja as 8 ações internacionais mais recomendadas para junho de 2024:  

Continua depois da publicidade

EmpresaSegmentoRecomendaçõesRetorno mensal* (%)Retorno 12 meses** (%)
Microsoft (MSFT)Tecnologia52,7823,70
Alphabet (GOOGL)Tecnologia53,3540
Nvidia (NVDA)Tecnologia431187
Amazon (AMZN)Tecnologia4-4,6342,75
Apple (AAPL)Tecnologia347,18
JPMorgan (JPM)Financeiro35,1044,60
Eli Lilly (LLY)Saúde31289
Alibaba (BABA)Varejo3-4,15-8,44
Fontes: Ágora Investimentos, BTG Pactual, Empiricus, Guide Invesimentos, Itaú BBA, XP, Genial Investimentos, Santander e C6 Bank.
*Retorno entre os dias 4 de maio e 4 de junho

Para as casas consultadas, o principal tema que deve ser observado pelos investidores nos próximos meses é a política monetária nos Estados Unidos. Os dados do mercado de trabalho (payroll) e inflação, divulgados no mês passado, mostraram acomodação na atividade econômica, cenário que joga a favor da narrativa de corte de juros no país, disseram.