Lista de FIIs que pagam dividendos acima do CDI sobe para 69 após novo corte da Selic

Com um dividend yield de 26%, o FII HTMX11 é o maior pagador entre os principais fundos do mercado.

Wellington Carvalho

Publicidade

Pelo menos 18 fundos imobiliários entraram na seleta lista dos FIIs que pagam dividendos acima da taxa do CDI (certificado de depósito interbancário), após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduzir, pela sexta vez consecutiva, a taxa Selic em 0,50 ponto percentual – agora para 10,75% ao ano.

Após o novo corte, 69 FIIs apresentam dividend yield (taxa de retorno com dividendos) acima, por exemplo, dos 10,65% da taxa do CDI, que acompanha a Selic e serve de referência para as aplicações de renda fixa. Em fevereiro, esse número estava em 51.

Leia mais:

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Os dados fazem parte de levantamento do InfoMoney com informações da Economatica, que toma como base os 104 fundos que compõem o Ifix – índice dos FIIs mais negociados na Bolsa – e que, nos últimos 12 meses, tenham tido retorno total (valorização da cota mais distribuição de dividendos) positivo.

Desta forma, 66% dos fundos do Ifix pagam dividendos acima da taxa do CDI. Com um dividend yield de 26%, o Hotel Maxinvest (HTMX11) é o maior pagador entre os principais fundos do mercado. Confira a lista.

TickerDividend Yield – 12m (%)Retorno Total – 12m (%)
HTMX1126,11103,78
CACR1116,5616,22
RBRX1115,738,4
RZAK1115,4711,54
HABT1115,3623,08
CYCR1115,3338,21
SPXS1115,0629,78
URPR1115,07,51
VGIR1114,9919,42
RZAT1114,9533,02
JSAF1114,950,62
PORD1114,4423,71
VGHF1114,4319,59
WHGR1114,431,71
RBRY1114,3821,02
TGAR1114,3726,35
ARRI1114,2423,05
OUJP1114,2218,54
MFII1114,0627,44
RZTR1114,0427,97
HSAF1113,6928,58
XPCI1113,6428,12
KNCR1113,5819,9
VCRI1113,4517,07
SADI1113,4314,68
TVRI1113,3845,61
BTCI1113,3326,86
AFHI1113,3219,28
VIUR1113,2824,3
KNHY1113,2323,78
PLCR1113,2221,01
MXRF1113,1716,8
XPSF1112,9932,81
RBVA1112,9737,21
KCRE1112,9224,24
VGIP1112,8425,45
RECR1112,8419,82
HGCR1112,8118,23
VCJR1112,6322,41
CVBI1112,6121,48
GTWR1112,5928,2
SNCI1112,5814,66
RBFF1112,5642,13
MCCI1112,522,14
KFOF1112,4942,57
BCIA1112,3145,06
GARE1111,8621,66
BARI1111,7718,36
PATL1111,7223,5
HGBS1111,741,12
HSLG1111,6743,57
HGFF1111,6241,53
RBRL1111,6127,88
BRCO1111,5944,61
HFOF1111,5631,33
CPTS1111,5423,35
GGRC1111,5326,65
KNSC1111,5119,98
TEPP1111,5156,94
HSML1111,4537,59
TRXF1111,2321,45
KISU1111,218,1
RBRF1111,1446,64
VRTA1111,0911,78
XPIN1111,0725,36
RBRR1111,018,78
BCFF1110,9330,03
LGCP1110,9135,34
VISC1110,6930,45
Fonte: Economatica

Embora seja recorrente, a comparação entre a taxa Selic e os dividendos pagos pelos fundos imobiliários não é a mais indicada, de acordo com especialistas. Para quem tem como objetivo a geração de renda passiva e recorrentes, eles recomendam a comparação com a curva de juros de longo prazo, que pode ser representada pelos rendimentos de título público do Tesouro Direto.

Continua depois da publicidade

Por que a queda da Selic favorece os FIIs?

Na avaliação de Cassiano Jardim, da Barzel Properties, o desempenho do Ifix, índice dos FIIs mais negociados na Bolsa, reforça a expectativa de retomada do segmento com a tendência de queda dos juros.

Segundo ele, o índice dos fundos imobiliários tem mostrado, por exemplo, uma performance superior ao Ibovespa no acumulado do ano – alta de 2% conta queda de 3%. A diferença pode ser atribuída à manutenção do ciclo de cortes da taxa Selic, afirma.

“Com juros mais baixos, os FIIs se tornam mais atrativos devido à valorização das cotas e ao aumento da rentabilidade dos ativos”, explica. “A política monetária, que se mantém favorável, aliada à recuperação do setor imobiliário, sugere uma diminuição na vacância dos imóveis e um incremento nas receitas dos fundos”, completa Jardim.

Na avaliação do especialista, a tendência é confirmada especialmente com a melhora da ocupação de espaços comerciais e logísticos.

O que são e como funcionam os FIIs?

Os fundos imobiliários captam recursos entre os investidores para a compra de imóveis que, posteriormente, podem ser alugados ou vendidos. As receitas obtidas nas transações – locação ou ganho de capital – são distribuídas entre os cotistas, na proporção em que cada um aplicou.

Os rendimentos repassados aos investidores, na forma de dividendos, são isentos de imposto de renda – um dos principais atrativos do produto.

Ao longo dos anos, o mercado de fundos imobiliários se desenvolveu e hoje há fundos focados desde a administração de escritórios até imóveis rurais, passando por shoppings, galpões logísticos, hospitais e agências bancárias, além dos FIIs de “papel”.

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.