Hacker desvia US$ 63 milhões em Ethereum, se arrepende e devolve valor

A história toda se desenrolou em um game em blockchain chamado Munchables

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

O setor de criptomoedas sofreu um de seus maiores incidentes de segurança neste ano, depois que um hacker roubou US$ 63 milhões de um jogo baseado em blockchain. O criminoso virtual, no entanto, se arrependeu e devolveu o valor.

O game Munchables confirmou o incidente em uma postagem no X (antigo Twitter) nesta quarta-feira (27) e disse que tentaria interromper as transações. A empresa especialista em blockchain PeckShield indicou que o hacker desviou 17.400 unidades de Ethereum (ETH), no valor de cerca de US$ 63 milhões na cotação atual. Dados públicos sobre transações com criptos apoiaram a estimativa.

O criminoso virtual parece ter mudado de ideia e devolveu os fundos integralmente no mesmo dia, de acordo com dados da blockchain. Munchables declarou que “todos os fundos dos usuários estão seguros” em um post no X, acrescentando em uma mensagem separada que o hacker não insistiu em nenhuma condição.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O game Munchables é baseado na Blast, uma rede de segunda camada que promete transações mais eficientes do que blockchains estabelecidos, bem como pontos de fidelidade semelhantes aos das companhias aéreas.

O fundador da Blast, Tieshun Roquerre, que atende pelo pseudônimo de Pacman, elogiou a resolução do problema. Ele disse que o hacker “optou por devolver todos os fundos no final, sem qualquer resgate exigido”.

Os jogadores em Munchables tentam ganhar recompensas cuidando ou cultivando de criaturas digitais com olhos esbugalhados. No início desta semana, o projeto disse que o valor dos tokens mantidos no protocolo ultrapassou US$ 80 milhões.

Continua depois da publicidade

O incidente de segurança desencadeou uma enxurrada de especulações infundadas de que a culpa era de um desenvolvedor desonesto ou mesmo de hackers norte-coreanos.

O número de hacks de plataformas cripto ligadas à Coreia do Norte atingiu recorde em 2023, embora a quantidade real de fundos roubados – pouco mais de US$ 1 bilhão – tenha caído cerca de 40%, segundo dados da empresa de análise de blockchain Chainalysis.

O Lazarus Group, uma unidade de hackers norte-coreana, roubou cerca de US$ 600 milhões da blockchain que sustenta o Axie Infinity (AXS), que já foi um dos jogos mais populares do setor.

Em geral, os ataques custaram à indústria de ativos digitais cerca de US$ 1,8 bilhão no ano passado, uma queda de cerca de 50% em relação a 2022, de acordo com a Immunefi, uma plataforma que oferece recompensas a pesquisadores que detectam falhas de segurança em software de cripto.

© 2024 Bloomberg L.P.

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney