Opinião

“Guido Mantega é o pior ministro da Fazenda da história”, afirma Sr. Dinheiro

Luis Carlos Ewald afirmou que a imagem do ministro está desgastada e nenhum economista ou empresário respeita ele. "Ele fala uma coisa e faz outra, então ninguém mais confia nele"

SÃO PAULO – O economista Luis Carlos Ewald, conhecido como Sr. Dinheiro, afirmou que o atual ministro da Fazenda, Guido Mantega, é o que teve o pior desempenho no cargo na história. Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff precisa trocá-lo por outro antes mesmo da eleição, pois a imagem dele está totalmente desgastada e não existe mais confiança nenhuma do mercado em sua pessoa.

Clique aqui para acompanhar outras matérias do Especial InfoMoney Retrospectiva 2013/Perspectivas 2014

“Nenhum economista ou empresário respeita o ministro da Fazenda, afinal, todos já cansaram de o ouvir falar uma coisa e fazer outra. Parece que ele vive em um mundo paralelo, pois o que ele fala nunca condiz com a realidade”, afirmou.

PUBLICIDADE

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

Outro problema apontado pelo economista é que os discursos de Mantega nunca estão em linha com os da presidente da República ou do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. “O que ele fala sempre vai contra o que os outros falam, mas isso não importa muito, pois é a Dilma que manda na economia”, disse.

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

Exatamente pelo fato de a presidente estar à frente da economia que o mercado suspeita que ela não irá trocar o ministro por outro antes das eleições e, quem sabe, nem depois, se ela se reeleger. “A presidente gosta de estar à frente e ele faz tudo que ela pede, então para Dilma está tudo certo. Ela não tem interesse em colocar alguém com voz no ministério, que iria fazer coisas contra os ideais dela. O Mantega faz tudo que ela quer”, afirmou Sr. Dinheiro.

No entanto, ainda de acordo com o especialista, a troca pode acabar ocorrendo por conta da pressão de mercado. “Ele faz muitas besteiras e a pressão será muito grande para que ela faça essa troca… Até antes das eleições. Então pode ser que ela ocorra por conta disso. Um novo ministro da Fazenda daria um ânimo legal para o mercado”, finalizou.