Fundos

Fuja dos riscos do mercado: conheça 4 fundos que driblam todas as turbulências

É possível evitar a turbulência eleitoral e econômica brasileira com investimentos a partir de R$ 5 mil em fundos descorrelacionados

SÃO PAULO – Ano eleitoral é sempre a mesma história: volatilidade a todo vapor e muitas incertezas dão o tom dos investimentos. É preciso diversificar e se manter atento aos riscos envolvidos em cada aplicação. As eleições presidenciais de 2018 trazem ainda mais pimenta para esse cenário, uma vez que as intenções de voto seguem pulverizadas e ainda trazem o o ex-presidente Lula à frente de seus oponentes nas pesquisas mesmo após sua prisão. O clima de incerteza – e risco em caso de aposta errada – é maior do que em outros anos eleitorais.  

Do outro lado, a taxa Selic segue no seu piso histórico. O Copom (Comitê de Política Monetária) surpreendeu e manteve a taxa básica de juros em 6,50% ao ano na semana passada. Mas o mercado não arreda o pé e os economistas seguem apostando em Selic em 6,25% neste ano, apesar de o Banco Central ter sinalizado em comunicado que o ciclo de afrouxamento monetário chegou ao fim.

De acordo com o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central na segunda-feira (21), a mediana das projeções dos economistas de mercado ouvidos segue apontando para juros a 6,25% ao final de 2018. As expectativas, segundo o documento, são de que o Banco Central corte a Selic na próxima reunião, marcada para 19 e 20 de junho. Para 2018, as apostas foram mantidas em 8% para a Selic.

PUBLICIDADE

A necessidade de diversificar – e arriscar mais – para obter mais rendimentos é inegável e explícita. Mas como aumentar sua exposição ao risco ao mesmo tempo em que se mantém à margem dessa volatilidade? É possível com alguns fundos descorrelacionados do ambiente doméstico. Ou seja, as escolhas de ativos desses fundos são independentes do que está acontecendo na política e na economia brasileira. Aplicações em moedas estrangeiras ou mesmo em empresas fora do país garantem ao investidor menos dor de cabeça em dias dramáticos na cena interna, como foi o “Joesley Day”

Mas quais fundos de investimentos têm esse perfil? O InfoMoney separou quatro fundos descorrelacionados da cena externa e com baixa taxa de administração. Confira: 

FundoAplicação mínimaTaxa de administraçãoTaxa de performanceInvista neles
SulAmérica Endurance FIMR$ 5 mil1%20%Quer investir nesses fundos?
Clique aqui e abra já sua conta na XP Investimentos
Bozano Quant FIMR$ 5 mil1%20%
Aberdeen Multi Asset Growth Advisory FIM R$ 20 mil0,80%não tem
Leste Event Driven FIC FIMR$ 50 mil2%20%

SulAmérica Endurance segue um “plano de voo” com produtos de baixa volatilidade, mas sem deixar que a rentabilidade do investidor seja afetada. O fundo multimercado existe desde 2011 e entrega uma performance resiliente média de 120% do CDI com uma estratégia que é uma espécie de long&short de moedas.

Acessível para qualquer investidor, o fundo tem aplicação inicial mínima de R$ 5 mil e taxa de administração de 1% ao ano, metade do valor médio praticado para esse tipo de produto, o que também ajuda na entrega de resultados ao cotista.

O Bozano Quant também tem taxa de 1% ao ano – reduzida recentemente para elevar os ganhos dos cotistas. Desde a criação do fundo, em outubro de 2010, os ganhos acumulados foram de 122% do CDI. Se a taxa menor já estivesse em vigor, a rentabilidade do Bozano Quant teria sido de 136% no período.

Com taxa ainda menor, de 0,80% ao ano, o fundo Aberdeen Multi Asset Growth foi lançado em fevereiro deste ano e investe 100% do capital em ativos fora do Brasil. Ele tem a sua disposição mais de 30 classes de ativos totalmente descorrelacionados do mercado – o que faz deste veículo de investimento ser tão singular na nossa indústria.

PUBLICIDADE

O fundo Leste Global Event Driven é o único do Brasil com foco em “Event Driven”, uma estratégia bem comum no mercado internacional, mas que é desconhecida pela maioria dos brasileiros. A estratégia nada mais é do que negociar ações de empresas que estão em processo de M&A (Fusões & Aquisições, na sigla em inglês).

O fundo entra nas ações após a compra estar perto de ser concretizada, para ganhar com aquela “gordura” que existe entre o preço atual da ação na bolsa e o preço que ela de fato será vendida. Por razões óbvias, o Leste Global Event Driven FIC FIM tem mandato para operar globalmente, já que operações de M&A acontecem com muito mais frequência em países como Estados Unidos e Europa.

Cada um dos gestores desses fundos já estiveram no programa Papo com Gestor. Quer saber mais sobre cada um deles? Veja abaixo: 

>> Bozano

>> SulAmérica

>> Leste Capital

>> Aberdeen