Dados da CVM

Fiagros de “papel” dominam primeiras ofertas no mercado e podem ser opção defensiva de investimento

Assim como ocorre com fundos imobiliários, carteiras focadas em recebíveis do agronegócio atraem investidores porque se beneficiam da alta dos juros

Por  Bruna Furlani -

SÃO PAULO – A chegada de um novo produto do agronegócio às prateleiras das corretoras chamou a atenção de investidores neste ano. As ofertas de Fiagros, fundos que investem nas cadeias produtivas agroindustriais, ganharam tração e agora já somam 27 entre pedidos aprovados e em análise pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Mais da metade das ofertas registradas ou em fase de análise pela CVM até agora são focadas em ativos de “papel”, ou seja, investem em ativos como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) ligados ao setor e do Agronegócio (CRAs), assim como em Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) ou do Agronegócio (LCAs), entre outros. Os dados são de levantamento feito pela empresa de soluções para o mercado financeiro Quantum Finance.

Essa é mais uma característica que aproxima os Fiagros dos fundos Imobiliários (FIIs), com os quais costumavam ser comparados mesmo antes de serem regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em julho de 2021. Nos últimos meses, os FIIs focados em recebíveis caíram nas graças dos investidores.

“Hoje, cerca de 80% a 90% das captações são de fundos de CRI. Caiu no gosto do investidor. Há ainda um pouco de timing, porque esses fundos vêm sendo ajudados pela alta da inflação”, explica Evandro Santos, sócio da XP Asset. Para André Masetti, gestor de fundos estruturados da casa, as ofertas de Fiagros voltadas para ativos de “tijolo” – ou seja, que investem em imóveis físicos – tendem a ser mais difíceis porque muitos investidores estão mais acostumados com a ideia de aplicar em ativos de crédito, e não em terras.

Alocação defensiva

Por ter o foco em investimentos ligados ao agronegócio, os Fiagros podem representar uma boa opção para quem está de olho em ter uma parte da carteira com uma posição mais defensiva, especialmente com a chegada do ano eleitoral.

Na avaliação de Vitor Duarte, CIO da Suno Asset, um dos maiores benefícios do investimento é que ele garante diversificação e pode oferecer alguma proteção, considerando que o dólar deve seguir apreciado – o que costuma beneficiar empresas exportadoras, como são muitas do agronegócio – ao mesmo tempo em que o desempenho econômico local promete ser baixo ou até negativo em 2022, na avaliação de analistas.

Duarte nota que as vendas de imóveis para algumas classes vêm caindo e que o crédito imobiliário deve ser afetado negativamente com a alta dos juros, o que pode pesar sobre o setor imobiliário. O agronegócio, por outro lado, vai muito bem e tem a vantagem de estar atrelado ao mercado internacional, diz – o que significa que, nesse caso, os efeitos do dólar mais valorizado em relação ao real são positivos.

Masetti, da XP, também vê um cenário positivo para o investimento. Um dos pontos favoráveis, segundo o gestor, é o fato de os CRAs normalmente oferecerem retornos atrelados à taxa do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que costuma acompanhar os movimentos da taxa básica de juros, a Selic. Logo, com os juros subindo, os pagamentos recorrentes dos CRAs também tendem a ser maiores.

“Todo esse estresse fiscal provoca um cenário desafiador. Mas o lastro [garantia] de vários desses Fiagros é um ativo de renda fixa, que se beneficia de um aumento de juros”, destaca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também:

Outro ponto atrativo, segundo Masetti, é que por meio dos Fiagros o investidor pode ter acesso a emissores de CRIs e CRAs para além dos mais tradicionais – caso de Marfrig, JBS e Minerva – que podem oferecer taxas mais altas.

“O grosso do mercado de CRAs, por exemplo, é JBS e Marfrig. O foco do Fiagro são CRAs de nomes não muito óbvios. Isso é bom para o produtor que tem acesso a um crédito diferente e bom para os investidores, que podem diversificar mais a carteira”, acrescenta Santos, da XP.

Com um detalhe: para acessar um CRA ou CRI, o investidor de varejo precisa aportar valores que costumam iniciar em R$ 800, ao contrário do que ocorre com os Fiagros, onde há cotas que custam cerca de R$ 10.

Isso sem contar que o novo produto promete chegar às prateleiras com isenção de Imposto de Renda para pessoa física e sem come-cotas, segundo a Lei nº 14.130/2021, que rege os Fiagros, aprovada no começo deste ano. É, nesse aspecto, o mesmo funcionamento dos fundos imobiliários.

Ao que tudo indica, o valor mais baixo das cotas e a possibilidade de diversificação têm ajudado a atrair investidores de varejo. Entre as ofertas voltadas para o público em geral já registradas, a presença de pessoas físicas foi dominante. Na primeira emissão do Fiagro da Riza Asset Management, por exemplo, 96% dos investidores participantes eram pessoas físicas.

Desvantagens do investimento

Embora o produto possa oferecer uma boa diversificação para as carteiras, é preciso ter em mente que a rentabilidade de curto prazo dos Fiagros deve ser menor do que a dos fundos imobiliários.

Duarte, da Suno Investimentos, diz que o agronegócio possui mais fatores desconhecidos. “No caso do imobiliário, se você quiser saber onde está o prédio, você vai no cartório, vê a escritura. No caso do agro, há algumas incertezas. A terra pode ser invadida. Assim como pode ocorrer uma geada e prejudicar a produção, por exemplo”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro ponto de atenção tem a ver com a tese de investimento do negócio. O especialista da Suno nota que o investidor precisa olhar com atenção as premissas do gestor para entender se elas são críveis e questionar se “elas param em pé”.

Há ainda os problemas de liquidez usuais em mercados novos. Masseti, da XP, diz que os Fiagros precisam amadurecer para que a liquidez – ou seja, o nível de facilidade com que um investidor pode se desfazer de um determinado ativo – aumente.

“A indústria está nascendo do zero, ela vai amadurecer com os follow-on [ofertas subsequentes de cotas]”, diz Masseti. No primeiro boom dos fundos imobiliários, entre 2010 e 2012, lembra o gestor, os FIIs tinham um mercado secundário pequeno. Agora que esse mercado foi apresentado e assimilado pelo varejo, a arrebentação já foi quebrada. “Isso tende a facilitar pros Fiagros”,  afirma.

Santos acrescenta que a liquidez pode melhorar com a entrada mais forte de investidores institucionais. “Eles costumam sentir primeiro o mercado. Vão tateando porque o momento é delicado e devem entrar mais pesado quando o mercado melhorar”, avalia.

Uma alternativa, nesse caso, é priorizar ofertas do tipo CVM 400 – coordenadas por corretoras mais populares e abertas para investidores em geral, em vez de restritas a investidores profissionais. Segundo Duarte da Suno, elas podem oferecer maior liquidez. “Ainda assim, vai ser menor do que os FIIs. Por isso, a pessoa deve investir aquilo que não vai precisar vender no curto prazo”, acrescenta.

Janela de ofertas mais seletiva

Embora os pedidos de registro sigam a todo vapor, o valor captado pelas gestoras deve ser reduzido. Masetti, da XP, diz que as ofertas vão seguir, mas a expectativa da casa é de que as captações atinjam entre 70% e 80% do valor pretendido. Com isso, afirma, o valor de R$ 3 bilhões em captações de Fiagros que a XP previa há alguns meses para 2021 deve cair para algo em torno de R$ 1,5 bilhão.

A razão, explica o gestor, está ligada ao estresse que vive o mercado hoje. “Há uma incerteza grande em relação ao furo no teto de gastos, há um aumento grande na curva de juros. Com isso, o custo de oportunidade muda de forma radical e torna o cenário mais desafiador”.

Leia também:
O triste fim do teto de gastos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

André Ito, fundador da MAV Capital, gestora que aguarda o registro de um Fiagro na CVM, afirma que o mau tempo no mercado financeiro atrapalha, mas não “fecha totalmente” a janela de ofertas.

“Vamos começar a verificar várias ofertas sendo postergadas, o que prejudica os gestores que estão vindo e vai deixando a janela mais complicada. A preferência dos gestores é sair [com as ofertas] até o fim do ano, dado que seria uma janela melhor”, destaca.

Nesse cenário, o executivo da MAV diz que os investidores devem ser mais seletivos com as ofertas. Para isso, ele diz que uma boa parte deve priorizar gestores que estão alocando maiores percentuais da carteira em ativos que remuneram a CDI mais uma taxa. Com o aumento dos juros, isso tende a se refletir em melhores retornos para o portfólio do fundo, pondera Ito.

Confira quais são as ofertas de Fiagros já registradas ou em análise na CVM:

FundoGestorTipo de Fiagro
SANTA FÉ TERRA MATER FIAGRO FII – FARM11Santa Fé InvestimentosTijolo
RIZA AGRO FIAGRO FII – RZAG11Riza Asset ManagementPapel
HEDGE AGRO I FIAGRO FIIHedge InvestmentsNão Divulgado
XP FLORESTAL I FIAGRO FIIXP Asset ManagementTijolo
HEDGE AGRO II FIAGRO FIIHedge InvestmentsNão Divulgado
STONEX FAI PECUÁRIA I FIAGRO FIDCStoneXNão Divulgado
FG/AGRO FIAGRO FII – FGAA11BRL Trust InvestimentosPapel
KINEA CRÉDITO AGRO FIAGRO FII – KNCA11Kinea InvestimentosPapel
XP CRÉDITO AGRÍCOLA FIAGRO FII – XPCA11XP Asset ManagementPapel
VALORA CRA FIAGRO FII – VGIA11Valora InvestimentosPapel
GALAPAGOS RECEBÍVEIS DO AGRONEGÓCIO FIAGRO FII – GCRA11Galapagos CapitalPapel
CAPITÂNIA AGRO PROPERTIES FIAGRO FIICapitâniaNão Divulgado
NCH RECEBÍVEIS DO AGRONEGÓCIO FIAGRO FII – EQIA11NCH Capital BrasilPapel
ECOAGRO I FIAGRO FII – EGAF11Eco AgroMulticlasse (Papel + Outros Fundos)
JGP CRÉDITO FIAGRO FII – JGPX11JGPPapel
PLURAL CRÉDITO AGRO FIAGRO FIIPluralPapel
NAGRO KARDINAL FIAGRO FIDCKardinalNão Divulgado
CANVAS FIAGRO FIICanvas CapitalPapel
INSUMOS MILÊNIO TERRAMAGNA FIAGRO FIDCSow CapitalNão Divulgado
CAPITÂNIA AGRO PROPERTIES FIAGRO FII ICapitâniaNão Divulgado
BB FIAGRO FIIBB Gestão de Recursos DTVMPapel
MAV CRÉDITO FIAGRO FIIRio das Pedras InvestimentosPapel
DEVANT FIAGRO FIIDevant AssetPapel
KIJANI ASAGREEN FIAGRO FIISingulare InvestNão Divulgado
ITAÚ ASSET RURAL FIAGRO FIIItaú UnibancoPapel
BTG PACTUAL CRÉDITO AGRÍCOLA FIAGRO FICFIDCBTG Pactual Gestora de RecursosNão Divulgado
VECTIS DATAGRO CRÉDITO AGRONEGÓCIO FIAGRO FIIVectis GestãoPapel

Fonte: Quantum Finance

Calcule sua renda com dividendos
Baixe uma planilha gratuita que mostra o retorno com dividendos de uma carteira de ações:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe