Privatização

FGTS na Eletrobras: fundos reduzem taxa de administração para atrair investidores

Da lista de 23 FMPs acompanhada pelo InfoMoney ao longo dessa semana, 14 têm taxas de 0,20% ao ano ou menos

Por  Mariana Segala -

Os trabalhadores que quiserem usar parte dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para participar da oferta de ações da Eletrobras – que resultará na privatização da empresa, hoje controlada pela União – precisam escolher por meio de qual fundo mútuo de participação (FMP) farão o investimento.

A boa notícia: os bancos e corretoras que lançaram FMPs estão reduzindo as taxas de administração cobradas dos investidores – alguns, mais de uma vez.

Transforme seu FGTS em investimento: use até 50% do seu FGTS para investir na Eletrobras, a maior empresa de energia da América Latina.

Levantamento realizado pelo InfoMoney junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e às instituições financeiras indica que, na segunda-feira (31), as taxas variavam entre 0,20% ao ano e 1,50% ao ano. Em três instituições financeiras os custos eram de 1% ou mais: Daycoval (1,50% ao ano), Safra (1,20% ao ano) e Guide (1% ao ano).

De lá para cá, o cenário mudou. Nesta sexta-feira (3), encontram-se fundos que até zeraram a taxa. A mais elevada no momento é a do FMP da MAM Asset Management, cujo regulamento indica um custo de 0,80% ao ano.

Da lista de 23 FMPs acompanhada pelo InfoMoney ao longo dessa semana, 14 têm taxas de 0,20% ao ano ou menos.

Os fundos de privatização são chamados de “monoação”, o que significa que investem nas ações de uma única empresa. Os regulamentos das carteiras que já foram registradas na CVM indicam que eles devem investir no mínimo 90% do patrimônio nos papéis da Eletrobras. Os 10% restantes podem ser alocados em títulos de renda fixa.

Por serem “monoação”, especialistas sugerem que a taxa de administração cobrada pelas instituições financeiras é um dos principais quesitos a avaliar na hora de escolher. “A diferença de rentabilidade entre eles vai ser consequência da taxa de administração. Não faz diferença a gestão, só os custos”, afirma Letícia Camargo, planejadora financeira.

Confira abaixo a lista de 23 fundos disponíveis para investir o FGTS nas ações da Eletrobras, com os respectivos CNPJs, gestoras responsáveis e taxas de administração:

FundoCNPJGestoraTaxa de administração
Alfa II – Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras – Migração40.156.889/0001-15Banco Alfa de Investimentos0,45% ao ano
BB Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras45.081.538/0001-06BB DTVM0,20% ao ano
BB Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras – Migração45.081.560/0001-56BB DTVM0,20% ao ano
BNB Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras42.847.915/0001-87BNB0,45% ao ano
Bradesco Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras44.360.670/0001-94Bradesco Asset Management0,40% ao ano
Bradesco Migração Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras44.544.074/0001-64Bradesco Asset Management0,40% ao ano
BTG Pactual reference Fundo Mútuo de Privatização do FGTS Eletrobras45.560.774/0001-05BTG Pactual Asset Management0,20% ao ano
Caixa Fundo Mútuo de Privatização – FGTS de Migração Eletrobras45.443.366/0001-73Caixa DTVM0,45% ao ano
Caixa Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras45.160.183/0001-40Caixa DTVM0,45% ao ano
Daycoval Fundo Mútuo de Privatização do FGTS Eletrobras (FMP-FGTS)45.121.022/0001-48Daycoval Asset ManagementZero
Genial Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras45.598.817/0001-41Plural Investimentos0,20% ao ano
Genial Migração Fundo Mútuo de Privatização FGTS Eletrobras45.938.153/0001-12Plural Investimentos0,20% ao ano
Guide Fundo Mútuo de Privatização do FGTS Eletrobras (FMP-FGTS)45.120.936/0001-94Guide Gestão de Recursos0,15% ao ano
Itaú Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras42.520.416/0001-80Itaú Unibanco Asset Management0,20% ao ano
Itaú Migração Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras42.582.153/0001-34Itaú Unibanco Asset Management0,20% ao ano
MAM Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobrás43.926.530/0001-78MAM ASSET MANAGEMENT0,80% ao ano
Safra Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras44.934.934/0001-76Safra Asset Management0,15% ao ano
Safra Fundo Mútuo de Privatização – FGTS – Eletrobras – Migração44.934.897/0001-04Safra Asset Management0,15% ao ano
Santander Fundo Mútuo de Privatização – FGTS – Eletrobras – Migração45.322.586/0001-49Santander Brasil Gestão de Recursos0,20% ao ano
Santander Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras45.322.541/0001-74Santander Brasil Gestão de Recursos0,20% ao ano
Warren Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobras46.470.113/0001-51Warren Brasil0,50% ao ano
XP Fundo Mútuo de Privatização – FGTS (Migração) Eletrobrás45.088.755/0001-28XP Allocation Asset Management0,20% ao ano
XP Fundo Mútuo de Privatização – FGTS Eletrobrás45.088.790/0001-47XP Allocation Asset Management0,20% ao ano

Fonte: CVM e instituições financeiras

Cronograma da oferta da Eletrobras

O período de reserva das ações da Eletrobras começou nesta sexta-feira (3). Investidores pessoas físicas interessados em participar do processo de privatização da companhia poderão realizar seus pedidos até a próxima quarta-feira (8) ao meio-dia.

O prazo vale tanto para os investidores que desejam adquirir ações da Eletrobras diretamente quanto indiretamente, usando parte FGTS. A oferta deve movimentar em torno de R$ 30 bilhões, no total, e a precificação está prevista para a próxima quinta-feira (9).

Caso o investidor opte por comprar as ações diretamente, ele precisará alocar, no mínimo R$ 1 mil e no máximo, R$ 1 milhão.

Já quem for utilizar uma parte do FGTS para investir nas ações da Eletrobras terá que investir pelo menos R$ 200 e precisará respeitar o limite máximo de investimento equivalente a 50% do saldo disponível em cada conta vinculada do FGTS.

Leia também:

Privatizada, Eletrobras (ELET3 ELET6) ganha eficiência e capacidade de investimento, dizem especialistas

Segundo o prospecto da oferta, foi garantido um investimento de pelo menos R$ 5 mil para cada investidor de varejo, que pode ser aumentado de acordo com a demanda.

Há, porém, um valor máximo de alocação dos FMPs, estabelecido em R$ 6 bilhões. Caso esse montante seja ultrapassado, será realizado um rateio proporcional entre os pedidos de reserva. Nesse caso, os valores depositados em excesso serão devolvidos sem remuneração, juros ou correção monetária, e com dedução de eventuais tributos.

Para os investidores que optarem por transferir os valores que possuem de outros FMPs – como os da Petrobras e da Vale – para FMPs que serão criados da Eletrobras, o prazo acaba antes. Os pedidos poderão ser feitos entre esta sexta-feira (3) e a próxima segunda (6).

Transforme seu FGTS em investimento: use até 50% do seu FGTS para investir na Eletrobras, a maior empresa de energia da América Latina.

Compartilhe