Bolsa de Valores

Está na hora de tomar uma postura mais agressiva, diz Votorantim Corretora

De acordo com a Votorantim, essa recuperação dos últimos dois meses indica que ainda há algumas ações interessantes e atrativas

Por  Arthur Ordones

SÃO PAULO – Após uma leve melhora do Ibovespa, principal índice da bolsa de valores, em julho, com alta de 1,64%, agosto apresentou uma recuperação mais robusta, com o benchmark aumentando +3,68%. No entanto, com os seis meses de quedas consecutivas, de janeiro a junho, o índice ainda apresenta uma queda acumulada em 2013 de quase 12%, até o fechamento da última sexta-feira (06).

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

De acordo com a Votorantim Corretora, essa recuperação dos últimos dois meses indica que ainda há algumas ações interessantes e atrativas. “Por isso, acreditamos que agora é a hora de adotar uma postura mais agressiva em relação ao mercado acionário”, afirmou a corretora em relatório.

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

Após manter um portfólio conservador desde o início do ano, dada à deterioração macroeconômica, a Votorantim acredita que essa é a hora de começar a apostas e se arriscar mais. “Estamos nos baseando em nossa percepção de que a economia brasileira encontra-se em um ponto de inflexão, focando em investimento em infraestrutura ao invés de conceder crédito às classes C e D, como ocorreu há alguns anos”, disse.

Os setores preferidos para um momento de inflexão
Com base nessa aposta, a corretora indicou os melhores setores para o investidor arriscar nesse momento, em busca de uma boa rentabilidade. “As boas oportunidades estão nos setores de Transportes e Indústria, dado o momentum da infraestrutura brasileira. Estamos também aumentando o peso do setor de Siderurgia & Mineração dadas as melhores perspectivas”, afirmou.

Para eles, o primeiro leilão de rodovias, em setembro, terá companhias com administração de qualidade como vencedoras. “Desenvolvendo esta linha de pensamento, preferimos companhias de capital intensivo para os próximos trimestres”, completou. “Além disso, o rebalanceamento do Ibovespa, que será válido de setembro a dezembro, aumentou o peso do setor de Educação”, finalizou a corretora, mostrando mais um setor no qual os investidores devem ficar atentos.

Compartilhe