Viver de renda

Dividendos acima da Selic? Ainda há 13 ações nos setores de commodities e energia elétrica; veja

Com taxa básica agora em 12,75% ao ano, as alternativas rarearam; confira as sugestões de investimento de 8 instituições financeiras e analistas

Por  Katherine Rivas -

A taxa básica de juros subiu na quarta-feira (4) para o patamar de 12,75% ao ano. Este é o maior nível da Selic desde o início de 2017. Alguns agentes de mercado, contudo, já preveem que os juros podem chegar até 14% ao ano no fim do ciclo do aperto monetário.

Com os juros em alta, alguns ativos de renda variável acabaram perdendo espaço nas carteiras dos investidores. Por que encarar o risco, afinal, se a renda fixa está remunerando tão bem?

Para quem pensa no longo prazo, no entanto, as ações podem fazer sentido mesmo agora – especialmente aquelas de empresas que são boas pagadoras de dividendos e geram uma renda passiva recorrente. A “concorrência” com os juros aumentou, mas ainda há papéis com retorno em dividendos – dividend yield – superiores à taxa Selic.

Muitos pertencem ao segmento de commodities, um setor que está sendo beneficiado em 2022 com a forte alta nos preços de matérias-primas como petróleo, minério e até cloro e soda cáustica. Na lista das ações com dividendos que batem a Selic, é possível encontrar também empresas de energia.

Embora garantir um dividend yield superior à Selic seja interessante para quem busca uma estratégia de renda passiva nos investimentos, a escolha de uma ação para integrar uma carteira de dividendos reúne outros fatores, como integrar setores resilientes, ter um certo histórico de previsibilidade e recorrência nos pagamentos e apresentar indicadores financeiros e endividamento saudável.

Por este motivo, o InfoMoney realizou um levantamento com oito instituições e especialistas focados em renda passiva para identificar quais das ações que ainda pagam dividendos acima da Selic são oportunidades, quais integram suas carteiras recomendadas e qual o preço limite de compra para garantir bons proventos. Veja a seguir:

Petrobras (PETR4) para quem busca um dividend yield de 20%

Instituição Dividend yield projetado para 2022Preço-teto de entradaPreço-alvoRecomendação
XP Investimentos26,60% —–R$ 48,10Compra
Ativa Investimentos20,40%R$ 40R$ 32,50Compra
Guide 24%R$ 43R$ 44Compra
BB Investimentos28,10%—–R$ 38,05Compra
Ações Garantem o Futuro20%R$ 62,74—–—–

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Segundo o levantamento do InfoMoney, a ação que deve oferecer o maior retorno em dividendos para os acionistas em 2022 é a preferencial da Petrobras (PETR4). Ela foi destaque em cinco instituições consultadas e os analistas projetam que o retorno em dividendos seja entre 20% e 28,10%. A recomendação é de compra do ativo na maioria de casas consultadas.

Na Guide, a expectativa é de um retorno em dividendos de 24% em 2022. O analista Rodrigo Crespi apontou que com o preço do petróleo em alta e o dólar subindo, a Petrobras garante uma forte geração de caixa e lucro. A venda de ativos como parte do seu plano estratégico também acaba otimizando a alocação do capital e gerando mais recursos para proventos.

“O setor ficou evidenciado entre os investidores do Brasil e do mundo todo, por conta dos preços de energia. A Petrobras que atua de forma integrada na cadeia produtiva acaba tendo uma ótima resiliência”, afirma.

Embora exista o risco político, Crespi destaca que para o investidor que conseguir segurar a volatilidade da ação, a Petrobras é uma das melhores alternativas para ganho de capital e dividendos em 2022. “A prévia operacional fez com que o mercado elevasse a expectativa com a ação”, destaca.

A companhia deve divulgar nesta quinta-feira (5), o seu balanço do primeiro trimestre de 2022. O esperado é que a petroleira traga bons números, impulsionados por um preço médio do petróleo tipo Brent mais alto e também por um avanço da produção, já divulgado nas prévias operacionais. Com isso, o destaque, para parte das casas, fica para o anúncio de dividendos. Algumas casas já esperam proventos entre US$ 3 bilhões a US$ 5 bilhões.

Além de ser uma boa pagadora de dividendos, a Petrobras também é considera uma ação barata – na verdade, “barata demais para ser ignorada”, na visão da XP. Contudo, o investidor deve levar em conta os riscos políticos – em outras palavras, a possibilidade de interferência do governo (acionista controlador) na sua gestão.

“Em um cenário mais estressado, que inclui 15% de desconto nos preços de paridade internacional para derivados de petróleo, chegamos a um preço justo de R$ 47,80 para as ações PETR3 e PETR4, mostrando que muito de um potencial cenário negativo já está embutido nos preços atuais”, destacam. Atualmente os papéis negociam no patamar próximo a R$ 30.

Crespi destaca que a Petrobras segue apresentando bons volumes de produção e redução do seu custo de extração com maior participação das operações do pré-sal no seu portfólio. “Esperamos a entrada em operação de novos poços a médio prazo, contribuindo com o aumento na produção”, diz.

O desinvestimento das refinarias e venda de novos ativos estratégicos devem favorecer a Petrobras, segundo o analista.

Para quem ainda não comprou a ação, mas gostaria de garantir pelo menos uma parte dos dividendos polpudos, Louise Barsi, sócio-fundadora do Ações Garantem o Futuro (AGF), calcula que o preço máximo de compra do papel seria de R$ 62,74. “Este é o preço teórico que o investidor poderia pagar para garantir um dividendo de no mínimo 12,75% ao ano”, explica.

Louise acredita que a companhia deve ser protagonista em dividendos neste ano, com um dividend yield de 20% e um dividendo por ação projetado de R$ 8 para 2022.

No dia 16 de maio, a petrolífera deve remunerar os seus investidores. O valor é de R$ 2,861 por ação e deve ainda ser corrigido pela variação da taxa Selic.

Veja também:

PETR3 também vale a pena

InstituiçãoDividend yield projetado para 2022Preço-alvoPreço-teto de entradaRecomendação
Santander Corretora21,70%R$ 33,10——-Manutenção

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Não é apenas a ação preferencial da Petrobras que promete pagar bons dividendos. A ordinária (PETR3) também pode trazer retornos acima da Selic para os acionistas. Por este motivo ela integra a carteira recomendada de dividendos da Santander Corretora.

Em cálculo feito no dia 4 de maio por Ricardo Peretti, estrategista de ações da Santander Corretora, a ação pode entregar um retorno em dividendos de 21,70% em 2022.

Entre os motivos que devem favorecer a companhia e o retorno da ação, Peretti destaca os preços do petróleo acima do esperado, maior aderência ao mecanismo de precificação de combustíveis doméstico, crescimento da produção e venda de ativos não essenciais.

Entre os pontos de risco, ele cita: preços do petróleo abaixo do esperado, menor crescimento da produção, interferência política e falta de disciplina financeira da gestão.

Vale (VALE3)

InstituiçãoDividend yield projetado para 2022Preço-teto de entradaPreço-alvoRecomendação
Ativa Investimentos19,80%R$ 90R$ 84,50Compra
Órama 15%R$ 105R$ 103,60Compra
Ágora Investimentos21,10%—-R$ 135Compra

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Ilan Arbetman, analista de research da Ativa Investimentos, acredita que a Vale deve continuar distribuindo proventos robustos em 2022, apesar da dinâmica chinesa e a produção abaixo do esperado no primeiro trimestre deste ano.

“Apesar dos problemas produtivos no primeiro trimestre, acreditamos que a companhia atingirá a ponta inferior de sua meta de 320/355 mil toneladas de minério no ano”, destaca.

Segundo Arbetman, com os preços atuais do minério de ferro, a companhia terá maiores prêmios de qualidade, maximizando os seus lucros e compensando a fraqueza dos volumes. No campo operacional, o analista destaca a oportunidades na extração de outros metais como níquel.

“Diante ainda de seu baixo endividamento e do êxito de sua política de desinvestimentos, não vemos motivos para a companhia não executar uma boa distribuição durante este ano”, afirma.

A expectativa da Ativa é que a Vale entregue um retorno em dividendos de 19,80% em 2022. O analista estabelece que o preço-teto de compra para o investidor garantir pelo menos 10,8% de dividend yield seria de R$ 90.

No caso da corretora Órama, a Vale não integra a carteira de dividendos e sim a de ações, contudo Phil Soares, chefe de análise de ações da Órama, acredita que o papel deva entregar um retorno em dividendos de 15% neste ano.

Leia também:

5 ações que pagam bons dividendos para investir em maio: Vale (VALE3) desbanca Engie (EGIE3) e lidera lista

Bradespar (BRAP4)

Junto da Vale, outra que deve pagar bons dividendos é a holding Bradespar (BRAP4) – que possui uma grande participação na mineradora. A ação integra a carteira de dividendos do BB Investimentos. A instituição projeta um dividend yield de 16,9%.

InstituiçãoDividend yield projetado para 2022Preço-teto de entradaRecomendação
BB Investimentos16,90%——Compra

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Unipar (UNIP6): small cap que não decepciona

InstituiçãoDividend yield projetado para 2022Preço-teto de entradaDividendo por ação projetivo em 2022
Ações Garantem o Futuro13%R$ 98R$ 12,50

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Outra ação que promete pagar dividendos acima da Selic é a Unipar (UNIP6). Segundo Louise Barsi, do AGF, a projeção é que a companhia entregue um dividend yield de 13% em 2022 e um dividendo por ação de pelo menos R$ 12,50.

O preço-teto sugerido para comprar o ativo e ainda conseguir garantir um bom dividendo é de R$ 98. A ação opera atualmente um pouco acima disso.

Louise explica que a Unipar é a maior produtora de cloro e soda cáustica da América do Sul e a segunda maior na produção de PVC. “A empresa se beneficiou e tende a se beneficiar da alta dos preços das commodities, que ainda não deu sinal de arrefecimento, tanto do PVC, como da soda cáustica”, destaca.

Ela acredita que de todas as exportadoras que devem pagar dividendos acima da Selic, a Unipar é a que se encaixa em uma estratégia previdenciária “Apesar de também sofrer com os ciclos das commodities, a empresa já demonstrou que quando não puder distribuir dividendos aos seus acionistas remunerará via bonificação de ações, como ocorreu em 2018 e 2019”, aponta.

Leia também:

Cidadão do mundo: médico investe por 8 anos para viver de renda em 25 países; siga dicas

Alupar (ALUP11): uma transmissora para futuro

InstituiçãoDividend yield projetado para 2022Preço-teto de entradaPreço-alvoRecomendação
Santander Corretora12,80%—–R$ 27,39Compra

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Com um retorno em dividendos projetado de 12,80%, a Alupar também integra a lista das companhias que devem pagar proventos acima da Selic em 2022. E é recomendação da Santander Corretora.

Alupar concentra 85% da sua receita no segmento de transmissão – um dos mais defensivos do setor elétrico. Peretti, da Santander Corretora, destaca que a companhia tem uma concessão de 30 sistemas de transmissão, totalizando 7.929 quilômetros de linhas, com o prazo de 30 anos.

Diferente de outras transmissoras tradicionais, Alupar também está focada no crescimento e por este motivo nem sempre distribui dividendos elevados. Mas quando os investimentos chegam ao fim, a geração de caixa deste tipo de companhia aumenta, avalia Guilherme Gentile, head de análise da Dividendos.me.

“A empresa está entrando no fim do seu ciclo de investimentos e a sua geração de caixa vai aumentar nos próximos anos, com elevação do payout e mais dividendos”, destaca.

Segundo Peretti, da Santander Corretora, os fatores que devem impulsionar a ação são o aumento de geração de caixa e pagamento de dividendos, crescimento da empresa por meio de fusões e aquisições ou projetos novos – principalmente em fontes eólicas e solares. E o reequilíbrio da concessão Transnorte Energia (TNE).

Entre os riscos, o analista destaca as taxas de juros elevadas, que podem acabar pressionando a atratividade dos dividendos, e menores taxas de retorno em futuros leilões de transmissão que limitem o crescimento da companhia.

Leia também:

9 ações baratas a partir de R$ 7 e que pagam bons dividendos

Mais 7 opções

A XP Investimentos e a Santander Corretora apontam outras ações que devem pagar dividendos acima da Selic, embora não integrem suas carteiras recomendadas de dividendos, por não reunirem outras características para uma estratégia de renda passiva além do dividend yield elevado.

Algumas integram inclusive outras carteiras das instituições com recomendações de compra. Veja a seguir:

InstituiçãoAçãoDividend yield projetado para 2022Preço-alvoRecomendação
XP InvestimentosUsiminas (USIM5)14,50%R$ 15,49Neutro
XP InvestimentosBlau (BLAU3)13,50%R$ 64,00Compra
Santander CorretoraMarfrig (MRFG3)21,60%R$ 25,00Manutenção
Santander CorretoraCemig (CMIG4)15,60%R$ 12,13Abaixo do Mercado
Santander CorretoraCSN Mineração (CMIN3)14,00%R$ 9,00Compra
Santander CorretoraBraskem (BRKM5)13,80%R$ 58,00Manutenção
Santander CorretoraCury Construtora (CURY3)13,40%R$ 13,00Compra

Preço-teto: Sugestão do analista para cotação máxima de compra; Preço-alvo: Cotação projetada pelo analista para a ação em 2022

Poucos BDRs se salvam

Se o número de ações brasileiras que pagam dividendos acima da Selic atual é escasso, nos BDRs (recibos de ações estrangeiras) é raridade.

Segundo levantamento feito pela plataforma TC/Economatica a pedido do InfoMoney, considerando o dividend yield projetado para o ano de 2022, apenas o BDR da Rio Tinto (RIOT34) oferece um retorno em dividendos de 13,23% – contudo, para quem já tinha posição no ativo em 31 de dezembro de 2021.

Se o investidor comprasse o BDR nesta quarta-feira (4), o dividend yield da Rio Tinto seria de 10,87% para os próximos 12 meses.

O analista e sócio-fundador da Monett, Felipe Paletta projeta um retorno em dividendos para a Rio Tinto de 13%.

Ele explica que a tese da Rio Tinto se parece com a da Vale. Segundo Paletta, ambas se beneficiam do ciclo de alta do minério de ferro, que no preço atual garante bons lucros para as mineradoras. “Rio Tinto tomou a posição da Vale como maior produtora de minério de ferro do mundo”, aponta.

Além de minério, a Rio Tinto também diversifica a produção com outras commodities metálicas, como cobre e alumínio, minerais com forte tendência de alta nos próximos anos.

No caso do minério de ferro, Paletta avalia que a Rio Tinto deve se beneficiar com a retomada da economia nos próximos anos e diversos investimentos no setor de infraestrutura. Por outro lado, cobre e níquel tendem a ser favoráveis em um cenário de transição energética, com a procura de mais veículos elétricos, por serem materiais necessários para a produção.

“Rio Tinto é um ativo mais barato do que a Vale, em múltiplos, e com potencial de multiplicar o capital de forma saudável, distribuindo dividendos sem afetar o seu plano de investimento”, aponta. O analista recomenda a compra do BDR até o preço-teto de R$ 370 (aproximadamente US$ 76) para garantir bons dividendos.

Mesmo sem cobertura pela casa, observando o consenso Bloomberg de retorno em dividendos, a XP Investimentos cita outros dois BDRs: Ecopetrol (E1CO34) e Enel Americas (E1NI34). Ambos possuem dividend yield em 2022 de 33% e 31,4%, respectivamente.

Calcule sua renda com dividendos
Baixe uma planilha gratuita que mostra o retorno com dividendos de uma carteira de ações:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe