Corretora que foi “berço” do fundador da FTX vira preferida para futuros ETFs de Bitcoin

A Jane Street foi escolhida por Fidelity, WisdomTree, Valkyrie e BlackRock

Bloomberg

Publicidade

A Jane Street Capital, empresa onde Sam Bankman-Fried, fundador da falida exchange FTX, aprendeu a fazer trade, é até agora a corretora preferida dos emissores de propostas de ETFs (fundos de índice) com exposição direta em Bitcoin (BTC).

A Fidelity e o WisdomTree nomearam a Jane Street Capital como sua “participante autorizada”, o termo usado pelo setor para identificar a empresa responsável por direcionar dinheiro para dentro e fora de ETFs.

A BlackRock e o JPMorgan Securities também nomearam a Jane Street como participante autorizado, caso seu ETF receba aprovação regulatória, de acordo com um prospecto alterado apresentado à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) na semana passada.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Valkyrie disse em seu próprio processo que também contratou Jane Street Capital e a Cantor Fitzgerald & Co.

As corretoras que atuam como participantes autorizados de ETFs são responsáveis por administrar a criação e o resgate de cestas de cotas do fundo, bem como pelas transferências de dinheiro de e para seu administrador.

Apesar de não ser difícil para os emissores de fundos de índice conseguirem acordos de participantes autorizados, alguns observadores do setor expressaram preocupações de que os ETFs de Bitcoin teriam mais dificuldades, uma vez que as criptomoedas são uma classe nova de ativos, de acordo com Eric Balchunas, analista sênior de ETF da Bloomberg Intelligence.

Continua depois da publicidade

Nem todas as empresas que apresentaram um prospecto alterado na semana passada listaram a corretora pretendida para a função.

“Alinhar prospectos não será exatamente uma tarefa difícil para todos os possíveis emissores, então esse foi um passo importante”, disse Nate Geraci, presidente da The ETF Store. “Com base em tudo o que sabemos até o momento, a BlackRock é o primeiro emissor a cumprir os requisitos da SEC para ser considerado para a inclusão da primeira onda de aprovações de ETFs de Bitcoin à vista.”

Taxas e preços

Entre outros destaques dos documentos alterados apresentados antes do prazo da SEC na semana passada, a Invesco disse que durante os primeiros seis meses que seu ETF “Invesco Galaxy Bitcoin” estiver listado, a empresa pretende renunciar à taxa de 0,59% sobre os primeiros US$ 5 bilhões em ativos. O pedido da Fidelity cita uma taxa de 0,39%, a mais baixa até agora, segundo Balchunas.

O Bitcoin chegou a subir 160% em 2023 em meio ao otimismo de que a SEC finalmente aprovará um ETF que investe diretamente na maior e mais antiga criptomoeda, em oposição aos produtos existentes baseados em futuros de BTC. O regulador tem até o dia 10 de janeiro para decidir se aprovará um pedido apresentado pela ARK Investment e 21Shares, de Cathie Wood.

© 2024 Bloomberg L.P.