Corretora cripto sofre onda de saques após suposta prisão de executivos por elo com sites de apostas

Rumores não passam de acusações sem sentido, disse empresa em comunicado

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

A exchange de criptomoedas Huobi sofreu uma onda de saques na última semana em meio a rumores de que vários executivos da bolsa, uma das 15 maiores do mercado cripto, foram presos na China.

De acordo com dados da plataforma Nansen, cerca de US$ 50 milhões em HUSD (HUSD), a stablecoin da corretora, foram sacados na semana passada, derrubando o saldo da moeda em 33%.

As supostas prisões foram relatadas no final de semana, no Twitter, pelo jornalista chinês Colin Wu, que cobre o mercado cripto do país asiático.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

“Recentemente, um grande número de executivos seniores de exchanges de criptomoedas offshore, como CTO e CHO, foram detidos e investigados pela polícia chinesa por supostamente fornecer serviços de liquidação e pagamento de fundos para sites de apostas”, escreveu.

Adam Cochran, investidor anjo e analista cripto, comentou algo semelhante na rede social. Em publicação no sábado (5), ele disse que funcionários da Huobi e da Tron (TRX) foram interrogados pela polícia, o que teria feito a corretora cripto Binance vender ativos digitais relacionados como forma de prevenção a uma eventual crise.

“Quando a Binance soube que os funcionários da Huobi/Tron estavam sendo investigados em relação às ações na Huobi, eles começaram a vender USDT… para mitigar o risco. Porque a Huobi é profundamente insolvente”.

Continua depois da publicidade

Um porta-voz da Huobi, segundo o site especializado CoinDesk, está negando os relatos. Em um comunicado publicado nesta segunda-feira (7), a empresa disse que isso é mais um “FUD” (sigla em inglês que significa medo, incerteza e dúvida).

“Todos os anos, a comédia na mídia social declarou a #Huobi “morta” ou que o pessoal da Huobi foi “pego”. Este ano não é diferente”, escreveu a exchange em um texto na plataforma Medium.

“Ficamos tristes ao ver parte de nossa indústria alimentando tanto preconceito e, às vezes, até ódio, mas acreditamos na ‘luz maior’ e, portanto, permanecemos firmes para enfrentar e defender com mais veemência a nós mesmos e nossa indústria contra todas essas difamações e acusações sem sentido”, completou a publicação.

Dados da plataforma DeFiLlama mostram que o saldo de criptomoedas na Huobi caiu de US$ 3,1 bilhões no início deste ano para US$ 2,5 bilhões no momento da publicação deste texto.

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney