Guia InfoMoney

Conhecendo melhor o mercado: entenda o que é uma companhia aberta

Companhia é considerada aberta quando possui ações, bônus ou debêntures negociadas em Bolsa ou mercado de balcão

SÃO PAULO – Para acompanhar o que acontece no mercado de capitais, é fundamental entender o conceito de companhia aberta. Afinal de contas, se não existissem companhias abertas, parte do mercado não funcionaria e as bolsas de valores perderiam muitas de suas funções.

Por definição, uma companhia pode ser considerada aberta quando realiza a colocação de valores mobiliários em bolsas de valores ou no mercado de balcão. Por valores mobiliários, podemos listar: ações, bônus de subscrição, debêntures e notas promissórias para distribuição pública.

Ações e renda fixa
Portanto, não é somente o mercado de ações que existe em função das companhias abertas: mesmo instrumentos de renda fixa, como debêntures e notas promissórias, somente podem ser distribuídos ao público quando a empresa emissora for uma companhia aberta.

PUBLICIDADE

Para atuar como uma companhia aberta, a empresa precisa ter autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão fiscalizador do mercado de capitais brasileiro. É esta autarquia que registra e autoriza a emissão dos valores mobiliários para distribuição pública.

Aberta versus fechada
Para uma empresa, a principal vantagem de se estabelecer como companhia aberta é a maior facilidade para distribuir valores mobiliários junto ao público. Isso ocorre porque somente companhias abertas podem realizar ofertas públicas, o que permite um significativo aumento da base de investidores.

Uma companhia fechada e que, portanto, não possua registro junto à CVM, por outro lado, somente tem permissão para transacionar seus valores mobiliários de forma privada, ou seja, fora do mercado.

Obrigações
Se atuar como companhia aberta traz vantagens para a empresa, também traz mais obrigações. Visando principalmente proteger os investidores, as companhias abertas devem atender a diversos requisitos, definidos na Lei das S.As. e nas regulamentações da CVM.

Dentre os mais importantes, destaque para a publicação de demonstrativos financeiros de acordo com os padrões definidos pela CVM, o que facilita a análise e compreensão das atividades da empresa por parte de potenciais investidores.