Compra da CSHG pelo Pátria com ‘porteira fechada’ preserva equipe de gestão: ‘Nada muda para cotista’

Negócio foi fechado por R$ 650 milhões e agora precisa ser aprovado pelo Cade e pelos investidores dos FIIs da gestora do Credit Suisse

Wellington Carvalho

Publicidade

Os fundos imobiliários da Credit Suisse Hedging-Griffo (CSHG) passam a contar com um novo controlador após a aquisição da gestora de FIIs da Credit Suisse pelo Pátria Investimentos. O comprador, no entanto, assegura que nada muda para os cotistas dos fundos da parte vendedora.

O negócio foi confirmado pelas duas casas nesta quarta-feira (6) e está avaliado em US$ 130 milhões (R$ 650 milhões). A conclusão da transação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e dos próprios cotistas dos FIIs da CSHG.

Aos investidores, o Pátria garante a manutenção da atual equipe de gestão da Credit Suisse Hedging-Griffo – uma das mais respeitadas no mercado brasileiro de FIIs.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

“A questão dos fundos e ativos é importante, mas a gente queria muito contar com a atual equipe da CSHG”, conta José Augusto Teixeira, sócio do Pátria. “Foi o que ocorreu com a VBI Real Estate, que teve a equipe preservada e fazendo um ótimo trabalho”.

Em junho de 2022, o Pátria Investimentos assinou acordo de associação e passou a contar com 50% de participação na VBI Real Estate, gestora também focada no mercado imobiliário brasileiro.

Teixeira ressalta a capacidade da atual equipe do CSHG, que transformou um patrimônio inicial de R$ 2 bilhões em quase R$ 12 bilhões – considerando os números atuais.

Continua depois da publicidade

A qualidade dos gestores de um FII está entre os principais aspectos observados pelos analistas de fundos imobiliários e pelos próprios investidores. Neste quesito, os cotistas da CSHG não teriam com o que se preocupar, sinaliza Marcelo Fedak, do Pátria.

“O mais importante de tudo é que para o cotista haverá uma continuidade”, pontua. “Nada muda para o investidor [dos fundos da CSHG], que terá toda a equipe a que já está familiarizado”, completa.

Em operação desde 2003, a CSHG faz a gestão de oito fundos imobiliários atualmente. São eles:

Juntos, os FIIs da CSHG contam com uma base de 814.046 investidores.

Líder em investimentos alternativos na América Latina, o Pátria pagará os R$ 650 milhões em duas parcelas, sendo a primeira de R$ 300 milhões.

Atualmente, a gestora de FIIs do Credit Suisse é a quinta maior do mercado em recursos sob gestão, com aproximadamente R$ 12 bilhões. Com a incorporação, o Pátria deve assumir a terceira posição no segmento.

A possibilidade de venda da CSHG começou a ser cogitada no início do ano, quando a instituição financeira suíça começou a enfrentar uma crise de confiança.

Para evitar que o problema se espalhasse pelos mercados globais, o banco também suíço UBS acertou a compra do rival por US$ 3,2 bilhões, em março – assumindo o controle das operações também no Brasil.

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.