"Big techs"

Assimetria do S&P 500 cria riscos para escalada das bolsas, diz Morgan Stanley

Para estrategista-chefe de renda variável do Morgan Stanley nos EUA, menor amplitude do índice deixa o mercado mais vulnerável a choques

Financial Data Analysis Graph Over One Hundred American Dollar Bill
(sefa ozel/Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — São tão poucas as ações que dão suporte à alta recorde do S&P 500 que o mercado está vulnerável a choques, particularmente ao aumento de juros, avalia Mike Wilson, estrategista-chefe de renda variável do Morgan Stanley nos EUA.

Como exemplo da menor amplitude do mercado, Wilson ressaltou que, na sexta-feira passada, o ganho de 5% da Apple poderia ser responsabilizado por todo o retorno total dos índices S&P 500 e Nasdaq 100.

Durante a semana, o S&P 500 subiu 0,7% para o maior nível de todos os tempos, enquanto uma versão do índice de pesos iguais caiu 1,5%, o que sugere que a ação média não participou do avanço como as gigantes.

A assimetria do mercado não é novidade: o valor total somado da Apple e das outras quatro companhias com maior capitalização nos EUA saltou 49% neste ano, enquanto o resto do mercado recuou 4%. No entanto, Wilson vê a situação criando riscos para a escalada das bolsas, parcialmente embaladas pelos rendimentos dos títulos de renda fixa perto dos menores níveis em registro.

O recuo recente na reabertura de escolas e fatores econômicos potencialmente decepcionantes podem forçar o Congresso a introduzir um pacote de estímulos maior do que o esperado, o que poderia elevar os rendimentos da renda fixa, alerta Wilson.

Leia também:
Apesar da retomada da Bolsa, gestores de ações descartam bolha no mercado brasileiro

“Esperamos que um susto em termos de crescimento seja seguido por um susto em termos de juros nas próximas semanas/meses, que podem finalmente nos dar a primeira correção passível de aposta nos principais índices acionários dos EUA”, escreveu Wilson em nota enviada a clientes. “Pode começar em breve”, acrescentou.

As bolsas americanas dispararam em meio a gigantescos estímulos fiscais e monetários. O S&P 500 subiu mais de 50% desde a mínima atingida em março.

Diante do caminho incerto da recuperação econômica, investidores buscaram a segurança proporcionada pelas gigantes de tecnologia, confiando em sua resiliência devido a balanços patrimoniais robustos e produtos adequados ao distanciamento social.

Enquanto republicanos e democratas estão em impasse sobre outro pacote de estímulos, Wilson acha que o Congresso agiria rapidamente e chegaria a um acordo com valor entre US$ 2 trilhões e US$ 2,5 trilhões se a reabertura da economia não vingar.

Segundo o estrategista, isso pode contribuir para um aumento “acentuado” nos juros de longo prazo, considerando a falta de disposição do banco central (Federal Reserve) de controlar a curva de juros — cenário para o qual o mercado não está preparado.

Regra dos 10 tiros: aprenda a fazer operações simples que podem multiplicar por até 10 vezes o capital investido. Inscreva-se!