Trio de acionistas da Americanas (AMER3) perde R$ 3,2 bilhões no primeiro pregão após notícia de rombo

O mais afetado foi Jorge Paulo Lemann, homem mais rico do Brasil, que perdeu quase R$ 1,5 bilhão

Equipe InfoMoney

Publicidade

O trio de acionistas de referência da Americanas (AMER3) também sentiu no bolso o derretimento da ação da varejista após a divulgação de um rombo de R$ 20 bilhões encontrado no balanço da companhia, que derrubou as ações em 77% na quinta-feira (12).

Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto “Beto” Sicupira e Marcel Telles, do 3G Capital, perderam juntos algo próximo a R$ 3,2 bilhões. O trio detém cerca de 40% de participação na Americanas e já foram os controladores da companhia.

Lemann, que é o homem mais rico do país, foi também o mais afetado, segundo dados do ranking diário de bilionários da Bloomberg. O empresário viu sua fortuna diminuir em R$ 1,48 bilhão (de acordo com o câmbio atual), saindo de R$ 109,7 bilhões para R$ 108,2 bilhões. Em 12 meses, o saldo de Jorge Paulo Lemann ainda é positivo em R$ 604,5 milhões.

Continua depois da publicidade

Já Beto Sicupira perdeu R$ 945 milhões, ficando com R$ 42 bilhões, e Marcel Telles perdeu R$ 802,6 milhões, para R$ 49,9 bilhões. Vale ressaltar que é comum variações no patrimônio desses bilionários, uma vez que muitos deles possuem seus bens atrelados a ações negociadas na bolsa.

Nesta sexta-feira (13), por exemplo, os empresários deverão recuperar um pouco da queda, uma vez que as ações da Americanas sobem cerca de 40% (por volta de 14h55, no horário de Brasília).

Além do “prejuízo” diário, o trio da 3G deverá tirar mais dinheiro do bolso para salvar a varejista. A tendência é que ocorra um follow-on para injetar dinheiro na Americanas e os empresários já se comprometeram em participar da operação, que ainda não teve valor divulgado.

Na última captação da Americanas, em 2020, o trio aportou R$ 3 bilhões na operação que levantou ao todo R$ 8 bilhões. Pela gravidade da situação, a tendência é que cifras bilionárias sejam vistas novamente, conforme já antecipou o ex-CEO Sergio Rial, em conferência com agentes de mercado.

Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Herrmann Telles
Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Herrmann Telles (Divulgação)