Imóveis

QuintoAndar retoma expansão e chega ao Nordeste

Site de aluguel, compra e venda de propriedades destaca centros urbanos densos e pouca participação de locação na região

Salvador, na Bahia

SÃO PAULO – A pandemia fez a startup QuintoAndar focar em ajustes na sua própria operação durante boa parte de 2020. Mas o reaquecimento do mercado imobiliário nos últimos meses fez o site de aluguel, compra e venda de propriedades retomar planos de crescimento já no começo de 2021. Nesta segunda-feira (18), o QuintoAndar anunciou a chegada às cidades de Recife e Salvador.

“A pandemia nos obrigou a rever planos e suspender algumas iniciativas, como as de expansão”, explica Thiago Tourinho, COO do QuintoAndar. “Da segunda metade de 2020 em diante, o mercado voltou a se aquecer. As pessoas continuavam precisando se mudar. Essa dinâmica vem se mantendo, e isso nos levou a retomar o plano de expansão, começando pelo Nordeste.”

A empresa tem mais de R$ 30 bilhões em ativos sob gestão apenas na frente de locação (valor total dos imóveis com o aluguel administrado pela plataforma). A plataforma está presente em mais de 30 cidades, como Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

Potencial do Nordeste

Tourinho afirma que a região Nordeste tem centros urbanos adensados e consolidados. São cerca de 20 milhões de residências na região, enquanto Recife e Salvador têm cerca de 1,5 milhão de residências cada uma.

“Em ambas, a locação representa apenas 25% do total. Também apresentam valores médios de aluguel mensal interessantes, em cerca de R$ 1,6 mil para Salvador e R$ 1,7 mil para Recife. Há um grande espaço para crescimento. Acreditamos que podemos melhorar bastante a experiência dos nossos clientes e, no geral, influenciar positivamente todo o mercado.”

Thiago Tourinho, COO do QuintoAndar (Divulgação)
Thiago Tourinho, COO do QuintoAndar (Divulgação)

Proprietários poderão acessar a plataforma a partir desta segunda-feira para cadastrar imóveis. Nas primeiras semanas de fevereiro, o acesso será liberado para que inquilinos encontrem propriedades.

Segundo o COO, o número de anúncios captados antes da abertura para inquilinos superou as expectativas da startup em todas as últimas cidades em que o QuintoAndar abriu operação. “Acreditamos que isso deve acontecer novamente.”

Além do Nordeste, novas frentes de atuação

Gabriel Braga, cofundador e CEO do QuintoAndar, afirmou anteriormente ao InfoMoney que 2020 marcou grandes mudanças para o mercado imobiliário.

“As pessoas começaram a enxergar e a lidar com suas casas de maneira diferente. Não ficou mais só como um lugar para dormir, mas para trabalhar e viver. Vimos uma migração em quase todas as direções: pessoas procurando imóveis maiores em áreas periféricas, ou pessoas procurando imóveis mais acessíveis e menores”, disse Braga.

PUBLICIDADE

Condições macroeconômicas também deram um empurrão ao setor: houve uma forte queda da taxa básica de juros. De agosto de 2019 a agosto de 2020, a Selic teve nove quedas seguidas, passando de 6,5% ao ano para os atuais 2% ao ano. O menor nível histórico da taxa básica de juros permitiu uma redução das taxas cobradas nos financiamentos imobiliários.

“A queda da Selic afeta o setor imobiliário diretamente, tornando a compra mais acessível. Mais pessoas terão coragem de comprar a casa própria, mas os investidores também vão adquirir mais imóveis para locação. Com a baixa nos juros, o retorno da locação passa a ser mais atraente. Esses movimentos devem continuar”, avalia Braga.

Por isso, as fichas do QuintoAndar para o próximo ano também estão em uma área criada recentemente: a de compra e venda de imóveis.

Além de expandir o portfólio de imóveis para o Nordeste, a startup também vai buscar aprimorar a experiência de busca e visita das propriedades, usando o que já foi desenvolvido para a vertical de aluguéis. Por exemplo, realizar pesquisas por mapa, excluir fotos duplicadas e agendar visitas a qualquer hora ou qualquer dia.

O QuintoAndar espera ainda melhorar a transação em si – mas não definiu como tornará o processo mais acessível e menos burocrático.

Por fim, pretende ir depois da assinatura do contrato. Recentemente, a startup adquiriu a SíndicoNet, empresa que reúne conteúdos e serviços para moradores de condomínios.

“É uma espécie de loja de aplicativos para quem vive nesse tipo de propriedade e precisa resolver assuntos do dia a dia. Faz parte da nossa estratégia de ser sinônimo de moradia, não só de aluguel”, explicou Braga.

Quer fazer da Bolsa sua nova fonte de renda em 2021? Série gratuita do InfoMoney mostra o passo a passo para se tornar um Full Trader – clique para assistir!

PUBLICIDADE