Primeira fábrica de eVTOLs da Eve será no Brasil, em planta da Embraer

Subsidiária de mobilidade urbana da Embraer vai produzir em Taubaté (SP) as suas aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL)

Lucas Sampaio

Fábrica da Embraer (EMBR3) em Taubaté, no interior de São Paulo, que também vai produzir eVTOLs da Eve Air Mobility (Foto: Divulgação)

Publicidade

A Eve Air Mobility, subsidiária de mobilidade urbana da Embraer (EMBR3), anunciou nesta quinta-feira (20) que sua primeira fábrica para produzir aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL) será no Brasil, na cidade de Taubaté (SP).

A linha de produção ficará dentro de uma unidade da Embraer na cidade, entre as rodovias Presidente Dutra (BR-116) e Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), em uma área a ser ampliada. A empresa ressalta, no entanto, que a planta ainda está sujeita à aprovação final das autoridades.

Procurada pelo InfoMoney, a Eve não informou quando a planta deve entrar em operação nem qual deve ser a sua capacidade de produção. A empresa confirma apenas que o primeiro protótipo do eVTOL deve começar a ser montado neste semestre; os testes devem ocorrer em 2024; e as primeiras entregas e a entrada em serviço estão programadas para 2026.

Continua depois da publicidade

Os eVTOLs vão funcionar como um helicóptero 100% elétrico e silencioso, para deslocamentos em áreas urbanas, e têm o potencial de mudar o deslocamento de pessoas em grandes cidades. No momento há uma “corrida” de diversas empresas e startups para desenvolvê-los e produzi-los em larga escala.

A Embraer entrou na corrida por meio da Eve, e em maio do ano passado a subsidiária abriu capital na Nyse (New York Stock Exchange), listada com os tickers EVEX e EVEXW, após a fusão com um SPAC (uma “empresa de cheque em branco”) chamada Zanite. A aeronave da empresa deve ter autonomia de voo de 100 km (60 milhas).

Listada na B3 e também na Nyse, a Embraer é a terceira maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo, atrás apenas da Airbus e da Boeing (BOEI34), e líder no segmento até 150 passageiros. Ela também atua na aviação executiva, com os jatos Phenom e ‎Praetor, e em defesa e segurança, com o cargueiro C-390 Millennium e a avião de ataque leve e treinamento A-29 Super Tucano.

Fábrica em Taubaté

A Eve diz que a fábrica da Embraer em Taubaté, onde será instalada a linha de produção de eVTOLs, “se beneficia de uma logística estratégica, oferecendo fácil acesso por meio de rodovias e proximidade de uma linha ferroviária”, e é próxima à sede da Embraer em São José dos Campos (SP) e da equipe de engenharia e recursos humanos da Eve, “o que facilitará o desenvolvimento e a sustentabilidade de novos processos de produção, aumentando a agilidade e a competitividade da empresa”.

André Stein, co-CEO da Eve, diz em comunicado que a localização foi escolhida pensando na utilização “das mais recentes tecnologias e processos de fabricação, combinados com outros aspectos, como a cadeia de suprimentos e logística”, para ser “altamente competitivos em eficiência de produção”.

Já presidente e CEO da Embraer, Francisco Gomes Neto, afirmou que a decisão “está alinhada ao nosso plano estratégico de crescimento baseado em inovação e sustentabilidade” e que a empresa reforça seu compromisso com a Eve, pois acredita “no enorme potencial do mercado global de Mobilidade Aérea Urbana”.

Iniciativas da Eve

Eve Embraer

Além de desenvolver seu eVTOL, a Eve também está desenvolvendo outros produtos para o setor, como um software único de Gerenciamento de Tráfego Aéreo Urbano (Urban ATM), cujo intuito é otimizar e expandir as operações de Mobilidade Aérea Urbana (UAM) em todo o mundo.

A companhia fez dois importantes anúncios nos últimos meses: 1) em maio, informou que conclui os testes em túnel de vento do seu eVTOL em Lucerna, na Suíça; e 2) em junho, informou ao mercado sobre seus três primeiros fornecedores: a BAE System, a DUC Hélice Propellers e a Nidec Aerospace LLC .

A inglesa BAE System fornecerá o sistema de armazenamento de energia, a francesa DUC Hélice Propellers será responsável pela fabricação dos rotores para os oito motores de sustentação e a hélice de cruzeiro e a Nidec Aerospace LLC desenvolverá o sistema de propulsão elétrica do eVTOL da Eve (a Nidec é uma joint venture entre a japonesa Nidec Corporation e a Embraer).

A Eve também anunciou recentemente, junto com a United Airlines (U1AL34), planos para oferecer voos de eVTOLs em São Francisco, nos Estados Unidos. E firmou, em maio de 2022, uma parceria com a Porsche Consulting para definir a estratégia macro global de produção, cadeia de suprimentos e logística das suas aeronaves elétricas.

Lucas Sampaio

Jornalista com 12 anos de experiência nos principais grupos de comunicação do Brasil (TV Globo, Folha, Estadão e Grupo Abril), em diversas funções (editor, repórter, produtor e redator) e editorias (economia, internacional, tecnologia, política e cidades). Graduado pela UFSC com intercâmbio na Universidade Nova de Lisboa.