Brand Finance Brasil 2019

Magazine Luiza estreia entre as 30 marcas mais valiosas do Brasil; veja ranking

O relatório anual da Brand Finance mostra que o Itaú se mantem na liderança e o setor financeiro domina

(Shutterstock)

SÃO PAULO – A Brand Finance, uma consultoria internacionalde avaliação de negócios, divulgou nesta quinta-feira (29) seu relatório anual com as marcas mais valiosas e as mais fortes do Brasil. 

Por mais um ano consecutivo, o Itaú é a marca mais valiosa do país, apesar de ter sofrido uma baixa de 15% frente o valor de 2018. Mesmo com a queda, o valor do banco foi estimado em US$ 6,8 bilhões pela consultoria.

Setor financeiro domina

A manutenção do Itaú como primeiro do pódio e a presença dos outros três maiores bancos do Brasil entre os cinco primeiros mostram que o setor financeiro domina o ranking. 

PUBLICIDADE

Seguido do Itaú, vem o Bradesco, com um valor de US$ 6 bilhões e um de crescimento de 8% com relação ao ano anterior. O Banco do Brasil (US$ 4,3 bilhões e crescimento de 4%) e a Caixa Econômica Federal (US$ 4,2 bilhões e crescimento de 62%) aparecem como quarto e quinto colocados, respectivamente. Além de figurar no top 5 pela primeira vez, a Caixa foi a marca que mais cresceu no mercado brasileiro.

“Ao longo de 2019, os bancos brasileiros foram as marcas com o melhor desempenho. Essas instituições encontraram uma maneira de se manterem relativamente estáveis, mesmo em um cenário doméstico complexo como se encontra o do Brasil”, escreve David Haigh, CEO da Brand Finance, no relatório.

Entre as cinco primeiras, a unica que não é do setor financeiro é a Petrobras, em terceiro lugar. A marca da estatal, em 2019, foi avaliada com um valor de US$ 4,6 bilhões.

Lutando forte em meio à economia fraca

Mesmo que o cenário atual brasileiro seja desafiador, política e economicamente, uma série de marcas conseguiu aumentar seu valor consideravelmente.

Além de calcular o valor, a Brand Finance também determina a força relativa da marca, usando algumas métricas que analisam pontos como investimento em marketing, o patrimônio do publico-alvo e como a marca gerencia o impacto desses aspectos na performance do negócio.

Garanta sua estabilidade financeira. Invista. Abra sua conta na XP Investimentos – é grátis

PUBLICIDADE

Seguindo esse critério, a Renner, rede de lojas de roupas e acessórios, é uma das maiores em questão de crescimento e lucratividade. Em 2019, a varejista aumentou em 20% seu valor de marca, chegando aos US$ 641 milhões.

Por lançar diversos empreendimentos tecnológicos que aprimoraram o envolvimento e a experiencia do cliente no varejo, conseguir um ótimo crescimento e manter o caráter de inovação, a Brand Finance avaliou a Renner como a marca mais forte do Brasil em 2019, atingido 91,8 pontos de 100. 

Estreias no ranking

O Magazine Luiza apareceu pela primeira vez no ranking, ocupando a 21ª posição, uma na frente da Renner. A companhia, que foi vencedora do ranking Melhores Empresas da Bolsa, realizado pelo InfoMoney em parceria com o Ibmec, teve suas ações valorizadas em quase 9.000% entre o inicio de 2016 e o fim de 2018.

É a segunda marca de varejo melhor colocada no ranking, ficando atrás apenas da Lojas Americanas, que ocupa a 16ª posição. O valor de marca do Magazine Luiza é de US$ 688 milhões.

Além do varejista, outras estreias foram o Banco do Nordeste, na 41ª posição, e a marca de pães Pullman, do Grupo Bimbo e as companhias aéreas Azul e Gol.

A Azul, considerada a maior companhia aérea do país em número de voos e cidades atendidas, ocupa a 27ª posição do estudo, estreando no ranking com um valor de US$ 466 milhões.

Já a Gol apareceu na 46ª posição, com um valor de marca de US$ 229 milhões, graças a investimentos em tecnologia e infraestrutura, além de importantes expansões nas suas tradicionais rotas de voo.

Confira as 30 marcas mais valiosas do Brasil:

PosiçãoMarcaSetorValor de marca em 2019 (em milhões de US$)Valor de marca em 2018 (em milhões de US$)Alteração do valor
1ItaúBancário 6.8098.011– 15%
2BradescoBancário 6.0765.633+ 7,9%
3PetrobrasPetróleo e gás4.6425.110– 9,2%
4Banco do BrasilBancário 4.3224.163+ 3,8%
5Caixa Bancário 4.2332.620+ 61,6%
6BrahmaCerveja3.6373.715– 2,1%
7SkolCerveja3.4263.317+ 3,3%
8ValeMineração2.6432.093+ 25,8%
9SadiaAlimentos2.0352.764– 26,4%
10VivoTelecomunicações1.8842.099– 10,2%
11NaturaCosméticos1.4341.096+ 30,8%
12FibriaEngenharia e construção1.2231.175+ 4,1%
13DerbyTabaco1.222943+ 30,8%
14AntarcticaCerveja1.1921.123+ 6,2%
15EmbraerAviação1.0331.000+ 3,2%
16AmericanasVarejo1.002960+ 4,3%
17BraskemQuímica835745+ 12,1%
18OiTelecomunicação796977– 18,5%
19MarfrigAlimentos765635+ 20,4%
20IpirangaGasolina730808– 9,7%
21Magazine LuizaVarejo688
22RennerVarejo641532+ 20,4%
23CieloFinanceiro5911.267– 53,4%
24Nova SchinCerveja512894– 42,7%
25ExtraVarejo472419+ 12,6%
26Sul AmericaSeguros471628– 25%
27AzulAviação466
28Porto SeguroSeguros446513– 13,1%
29VotorantimEngenharia e Construção434720– 39,7%
30Assaí AtacadistaVarejo381266+ 43,3%

Para ver a versão gratuita do relatório, clique aqui.

Metodologia da avaliação

A metodologia para o cálculo do valor das marcas da Brand Finance parte da determinação do Valor Econômico Adicionado (Economic Value Added) da empresa para posteriormente identificar a parcela deste valor gerado pela marca.

Isso significa que a essa metodologia analisa as diferentes formas de influência da marca no desempenho da organização, de acordo com o impacto que exerce em consumidores (atuais e potenciais), funcionários, fornecedores e investidores.