Luxo

LVMH, dona da Louis Vuitton, anuncia compra da Tiffany por US$ 16,2 bi, maior da sua história

As ações da companhia subiam 2,22% na Bolsa de Paris por volta das 08:10

Jóias da Tiffany
(Shutterstock)

SÃO PAULO – O grupo LVMH, dono da Louis Vuitton, anunciou nesta segunda-feira (25) a compra da joalheria Tiffany por US$ 16,2 bilhões, maior aquisição de sua história. As ações da companhia subiam 2,22% na Bolsa de Paris por volta das 08:10 (horário de Brasília).

Em comunicado, as empresas disseram ter concluído acordo definitivo por US$ 135 por ação com expectativa de conclusão em 2020 após o aval de autoridades antitruste.

Com a empresa baseada em Nova York, maior referência em joias do mundo, o conglomerado pretende aumentar sua presença nos Estados Unidos. Entre as mais de 70 marcas do grupo estão Christian Dior, Marc Jacobs, Givenchy e Kenzo.

PUBLICIDADE

“Foi um movimento estratégico bastante importante e aderente à estratégia de alocação de capital da LVMH. O grupo sai fortalecido”, diz Arthur Siqueira, sócio e analista de investimentos da GEO Capital, gestora de investimentos em ações internacionais. 

“Tiffany é uma empresa que goza de um patrimônio e um posicionamento únicos no mundo do mercado de alta joalheria e nos inspira um imenso respeito e uma grande admiração. Estamos felizes de permitir que siga brilhando no futuro”, disse Bernard Arnault, bilionário controlador da LVMH, no comunicado.

Antes de fechar esse acordo, o grupo chegou a oferecer US$ 120 por ação em 15 de outubro. Na semana passada, o valor subiu para US$ 130 antes de chegar aos US$ 135 acordados.

Seja sócio das suas empresas favoritas sem pagar corretagem. Abra uma conta na Clear.