Em negocios / grandes-empresas

Livraria Saraiva decide fechar 20 lojas

Alguns pontos interrompem o funcionamento já nesta semana. De um ano pra cá, a companhia encolheu de 111 unidades para 84

Saraiva Mega Store
(Divulgação)

SÃO PAULO - A Saraiva, maior rede de livrarias do país, vai fechar 20 de seus 104 pontos de venda. O anúncio foi feito na última segunda-feira (29), coincidentemente, o dia do livro.

Dessas lojas, 12 são da própria bandeira da companhia e oito são pontos da rede “iTown”, uma revendedora autorizada da Apple que também era administrada pela rede.

A relação de lojas fechadas ainda não foi confirmada pela empresa, mas segundo fontes do mercado, os pontos de venda cortados são os de Londrina, Santos, Campinas, Alphaville e dos shoppings Anália Franco e West Plaza.

A Livraria Cultura, concorrente da marca, também enfrenta dificuldades e, na última semana, entrou com pedido de recuperação judicial. Em nota oficial, a empresa justificou essa decisão pelo “cenário econômico nacional adverso e pela crise no mercado editorial.”

Alguns pontos da Livraria Saraiva interrompem o funcionamento já nesta semana. De um ano pra cá, a companhia encolheu de 111 unidades para 84, em 17 estados brasileiros e no Distrito Federal. Essa redução pode ser creditada à expansão de negócios da Amazon no país, que aumentou a competição com as livrarias tradicionais.

O e-commerce da empresa continua em atividade, mas produtos da área de tecnologia (celulares e computadores) serão vendidos no “marketplace”, um shopping virtual que abriga produtos de diversas varejistas. Assim, a Saraiva ganha apenas um percentual dessas vendas.

Em nota oficial, a rede de livrarias comenta que, “em linha com sua estratégia, as iniciativas refletem um esforço da companhia em obter rentabilidade e ganho de eficiência operacional, dentro de uma estrutura mais enxuta e dinâmica.” A empresa fechou o segundo trimestre do ano com dívida líquida de R$ 59 milhões, isto é, 53% acima do ano anterior.

A empresa também informou que vai se concentrar na venda de livros, pois eles representam a “essência da companhia e é hoje categoria mais vendida pela rede”, mas que continuará oferecendo produtos de papelaria, games, filmes e música.

Após divulgação do comunicado, as ações da Saraiva fecharam em queda de 5% na B3. Nesta terça-feira, estão cotadas em R$ 2,62, com queda de 1,5%

Quer investir seu dinheiro e fugir da crise? Abra uma conta na XP!

 

Tudo sobre:  Livros   Crise  

Contato