Crowdfunding

Em uma hora, Facundo Guerra consegue 62 investidores e R$ 1 milhão em crowdfunding para nova Love Story

Projeto da casa noturna, arrematada por R$ 200 mil no ano passado, consumirá R$ 3 milhões

Por  Katherine Rivas -

Em uma hora, durante a manhã desta quinta-feira (30), a casa de shows Love Cabaret conseguiu 62 novos investidores e R$ 1 milhão em uma plataforma de crowdfunding.

Trata-se da nova versão da Love Story, localizada no bairro República, na região central de São Paulo. A antiga boate, que teve a sua falência decretada em fevereiro de 2021, foi arrematada por R$ 200 mil em setembro de 2021 pelos empresários Facundo Guerra, Cairê Aoas e Lily Scott. Guerra é um nome icônico da noite paulistana, por trás de negócios como Bar dos Arcos, Lions, Yacht, Z Carniceria, Altar e Cine Joia.

A promessa agora é reformular a antiga Love Story, transformando-a em uma casa noturna com performances artísticas, loja de brinquedos sexuais, livraria erótica, casa de chá e até quartos privados.

As obras devem começar nas próximas duas semanas e a Love Cabaret deve abrir para o público em novembro deste ano.

Para o novo projeto, os empresários estimaram um investimento total (capex) de R$ 3 milhões. Destes, R$ 1 milhão foi captado com cotistas, por meio da plataforma de crowdfunding Divi Hub. O valuation (avaliação) foi estimado em cerca de R$ 7,5 milhões.

Foram ofertadas 100 cotas de R$ 10 mil cada. As ofertas iniciaram às 10h de hoje e, segundo Facundo Guerra, esgotaram em cerca de 1 hora. O site da oferta chegou a ser derrubado dado o tráfego de investidores. Apesar do interesse, Guerra afirma que a rodada de investimento será única para a Love Cabaret. Mas não descarta utilizar o mesmo formato em outros projetos. “É um protótipo. Se der certo, tenho vontade de levar para outros negócios”, afirma.

A participação dos 62 novos investidores na Love Cabaret será de 13,3%. O dinheiro captado será destinado para obras e reforma (70%), marketing e desenvolvimento artístico (20%) e custos de aquisição do leilão (10%). Este grupo terá direito aos lucros futuros da empresa.

Como funciona?

A captação foi feita em uma sociedade em conta de participação (SCP), por meio da qual os 62 investidores terão direito a usufruir dos lucros da companhia, de acordo com a proporção e número de cotas que possuem.

Os lucros serão apurados e distribuídos semestralmente na forma de dividendos. Desta forma, os investidores receberão, em conjunto, 13,3% dos ganhos. Cada investidor pôde adquirir até dez cotas.

O prospecto ressalta que as cotas ofertadas (consideradas valores mobiliários) “não conferem participação no capital social da empresa diretamente”, o que significa que os novos investidores não são considerados sócios, nem terão direito a gerência ou voto na administração. Em contrapartida, em caso de dívidas ou recuperação judicial, eles também não teriam responsabilidade. Quem responde nesses casos são os empresários Facundo Guerra, Cairê Aoas e Lily Scott.

Guerra explicou ao InfoMoney que, na ausência de lucro semestral, não haverá distribuição de dividendos aos investidores. De acordo com o prospecto, o primeiro exercício social do Love Cabaret terá fim em 31 de dezembro deste ano. Já os exercícios subsequentes terão duração de um ano, com pagamentos de lucros semestrais.

Contudo, como o funcionamento das operações da Love Cabaret deve iniciar em novembro, Guerra estima que o projeto comece a render lucros em 2023, quando os investidores devem receber os dividendos.

Os investidores também terão direito a outros benefícios, além dos lucros. Para quem comprou apenas uma cota (R$ 10 mil), os benefícios incluem 10% de desconto na consumação, acesso a cardápio e drinks exclusivos, participação da festa de inauguração com um convidado, visita agendada à obra, preferência nas reservas e serviços de concierge.

As vantagens vão aumentando conforme o número de cotas adquiridas. Para aqueles investidores que aplicaram R$ 100 mil (10 cotas), os benefícios incluem encontros anuais com Guerra, Aoas e Scott, visitas livres às obras, direto de fechar o Love Cabaret para ocasiões especiais, participação nas audições para escolha dos artistas e até direito de preferência na expansão da rede, entre outros.

Segundo Guerra, o tempo mínimo de permanência dos investidores no projeto será de um ano. Depois disso, eles terão o direito de ceder, transferir e até negociar as cotas em uma espécie de mercado secundário.

A previsão do faturamento bruto para o primeiro ano é de R$ 3,4 milhões, chegando a R$ 11 milhões no sexto ano. Já em relação ao resultado líquido, a previsão para o primeiro ano é de R$ 513 mil. Para o segundo, chega a R$ 2,1 milhões. O prazo de permanência dos investidores no projeto é indeterminado.

Segundo Guerra, a escolha por captar recursos via crowdfunding – no lugar de um empréstimo ou financiamento – partiu do desejo de montar um negócio com a sua comunidade e fortalecer o marketing do Love Cabaret. “Terei cerca de 100 sócios que vão falar do meu negócio como donos do negócio. Então aproveito do poder desta rede para diminuir os riscos de marketing”, diz.

O empresário reforça que o estabelecimento não será uma casa de prostituição ou de swing, e, sim, “um local que fala sobre todos os corpos e práticas de fetiche”. “Estou saindo do campo do prazer que representava a antiga Love Story, e entrando no campo do desejo, que é o Love Cabaret”, afirmou Guerra.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe