Itaquerão

BB nega proposta de financiamento da Odebrecht para Itaquerão, diz Valor

Banco alega que a construtora não apresenta garantias reais sobre o empréstimo de R$ 400 milhões

SÃO PAULO – O Banco do Brasil (BBAS3) negou a proposta da Odebrecht para intermediar o financiamento de R$ 400 milhões que seria dado à empreiteira pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para financiar as obras da Arena Corinthians, o Itaquerão, diz reportagem do jornal Valor Econômico desta quinta-feira (13).

Em um processo que se arrastou por meses, o banco não aceitou as garantias dadas pela Odebrecht, mesmo após a atuação direta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo a notícia, a empreiteira diz acreditar em uma última possibilidade de acordo com o banco, sob o risco de emitir debêntures para financiar a obra.

Segundo o Valor, o BB exigiu da Odebrecht parte de seus ativos, no valor equivalente ao do empréstimo, como garantia de execução em caso de inadimplência, mas a construtora reluta no acordo por nunca ter atuado como avalista em um empreendimento no qual figura apenas como prestadora de serviços. A proposta da Odebrecht se apoia em um acordo com as receitas a serem geradas com o funcionamento da arena, mas o BB alega que o modelo não reflete uma garantia real por não cobrir adequadamente o risco do financiamento.

Ainda segundo a reportagem, o Corinthians acompanha as negociações de perto mas sem envolvimento, já que não tem nenhuma relação com a forma de financiamento que a construtora adotará para cumprir seu cronograma de obras. A Odebrecht pediu ao BB para que prorrogue o prazo do programa ProCopa Arenas, do BNDES, que acaba em 31 de dezembro. Segundo o Valor, o governo estuda a possibilidade de estender o prazo por 180 dias.