Falecimento

Bancos lembram o legado deixado por José Safra

B3, ABBC, Banco do Brasil, Itaú, Santander, Caixa e Bradesco emitiram comunicados sobre o falecimento do banqueiro e filantropo

Joseph Safra
(Crédito: Renata Jurban/ Estadão Conteúdo/AE)

SÃO PAULO – Joseph Safra – ou José Safra, como passou ser chamado ao chegar do Líbano ao Brasil – faleceu nesta quinta-feira (10). Aos 82 anos de idade, o fundador do Banco Safra, homem mais rico do Brasil e banqueiro mais rico do mundo morreu por causas naturais, indicou uma nota enviada nesta manhã pelo Banco Safra.

Bancos e entidades do setor financeiro lembraram a trajetória de José Safra e ressaltaram seu legado em notas distribuídas à imprensa sobre o falecimento do banqueiro e filantropo.

A B3 afirmou que José Safra construiu um dos maiores bancos do país, ajudando a financiar etapas importantes do desenvolvimento econômico brasileiro. “Seu legado transborda o mercado financeiro na capacidade de aliar e realmente viver, no seu dia a dia, a visão de um negócio bem sucedido e uma profunda responsabilidade social. Seu José foi um dos primeiros e grandes filantropos do Brasil e nos mostrou que esses valores são complementares e fazem a diferença na história das empresas e das pessoas”, diz uma nota assinada pelo presidente da B3, Gilson Finkelsztain. Ele manifestou solidariedade neste momento de luto. “À família, nosso fraterno abraço de conforto. Aos colegas do Safra e inúmeros amigos, a certeza de que sua trajetória e legado perduram.”

A Associação Brasileira de Bancos (ABBC) também emitiu uma nota lamentando o falecimento de José Safra. A ABBC destacou que Safra foi um visionário, líder e empreendedor. Além de ter se tornado o homem mais rico do Brasil, “foi também muito conhecido no meio filantrópico com doações para hospitais, museus e à comunidade judaica”. “[José Safra] Foi fundamental para o sistema financeiro nacional, um dos mais ilustres representantes”, afirmou a associação. Para a AABC, Safra deixou um legado que continuará a influenciar não só aqueles que trabalharam diretamente com ele, como todos os que atuam na área financeira. “A ABBC se solidariza com a família e com o Banco Safra por essa grande perda para o Brasil.”

O presidente do Banco do Brasil, André Brandão, lamentou a morte do banqueiro. Brandão disse esperar que a família e os amigos encontrem conforto na lembrança de suas realizações. “O sistema financeiro perde um de seus maiores inovadores, que deu grande contribuição para modernizar a indústria ao longo de sua reconhecida trajetória profissional”, disse o presidente do BB em nota.

“Empresário dotado de grande energia, adotou o Brasil como pátria e construiu uma das principais instituições financeiras do país”, afirmou em nota o presidente do Itaú, Candido Botelho Bracher, para descrever José Safra. “Com o Grupo Safra, rompeu fronteiras e foi um dos pioneiros no mercado financeiro a se destacar internacionalmente. Aliou ao papel de grande empresário aquele de grande filantropo, compartilhando assim seu êxito com a sociedade”. Em nome do banco, Bracher prestou condolências aos familiares e amigos.

O presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial disse que Safra foi um homem de coragem, com participação fundamental no desenvolvimento do setor bancário do país, empreendendo também em outras áreas com destemor e eficiência. “Seu nome se tornou sinônimo de humildade e filantropia não só no Brasil, mas em todo o mundo. Meus sinceros sentimentos a toda a família, colaboradores e amigos, que certamente seguirão seu legado”, afirmou Rial em comunicado à imprensa.

Também em nota, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que recebeu a notícia com pesar. “Em nome dos colaboradores da Caixa, expresso nossos sentimentos aos familiares e amigos”, disse Guimarães.

O Bradesco afirmou em seu comunicado que recebeu com profundo pesar o falecimento de José Safra. “Nos causa impacto e lamento, pois Joseph Safra representa respeito, admiração e credibilidade para todos nós da Organização Bradesco. Nos solidarizamos com a família e seus milhares de colaboradores, clientes e amigos”, diz a nota, assinada por Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Conselho de Administração do Bradesco.

PUBLICIDADE

Trabuco Cappi ressaltou que Safra se consolidou em vida como um símbolo de confiança do mercado financeiro nacional. “Praticando os melhores fundamentos da atividade bancária, ao longo de toda uma vida, iniciada no Líbano, ele se dedicou pela vocação de líder e banqueiro, tornando-se rapidamente um nome conhecido e respeitado no mercado global”, escreve. Segundo o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, a marca Safra destacou-se nos principais mercados do mundo, referência entre os competidores como exímio gestor do patrimônio das famílias.

Trabuco afirmou ainda que Joseph Safra dividia o comando do banco com uma intensa atividade filantrópica e profundo amor pelas artes, sendo um dos principais beneméritos da comunidade judaica no Brasil. “Por seus méritos, amealhou fortuna, mas sua atuação em sociedade era ressaltada pela máxima elegância e discrição, aquelas qualidades que distinguem os grandes homens. À senhora Vick Safra, aos filhos Jacob, Esther, Alberto e David, os nossos sentimentos”, afirmou Trabuco Cappi na nota.

Com informações da Agência Estado.

Treinamento gratuito: André Moraes mostra como identificar operações com potencial de rentabilidade na Bolsa em série de 3 lives – assista!