Construção Civil

Após fim do direito de subscrição, ação da Viver dispara mais de 7%

Papel estava “travado” por conta do direito, diz analista; conselho da companhia aprovou aumento de capital em R$ 50 milhões

Por  Fernando Ladeira -

SÃO PAULO – As ações da Viver (VIVR3) sobem forte na bolsa nesta sexta-feira (5), amparadas na aprovação do conselho de administração para um aumento de capital de R$ 50 milhões. Segundo cotação das 11h20 (horário de Brasília), a valorização chega a 7,20%, aos R$ 1,34. Entretanto, momentos antes chegou a alcançar ganhos de até 8,00%, aos R$ 1,35.

Neste processo de aumento de capital, os atuais acionistas podem subscrever as novas ações ao preço de R$ 1,00, um grande desconto sobre o preço no fechamento. No entanto, a ação se torna ex-subscrição nesta sexta-feira, isto é, quem comprar a ação nesta data não tem mais direito a participar da subscrição.

Quando a companhia anunciou a proposta do aumento de capital, em 24 de setembro, o papel se valorizou em 8,77%, para R$ 1,24, e desde então variou pouco, encerrando a última sessão a R$ 1,28.

Para um analista que preferiu não se identificar, esse processo de aumento de capital costuma deixar a ação “travada”, dificilmente variando muito sobre o preço da subscrição. Com a perda desse direito, a ação também perde essa trava, explica.

Compartilhe