Marketing Digital

Airbnb e o Growth Hacking: como a empresa cresceu adotando a estratégia

“É um método baseado em dados e métodos que se utiliza do pensamento cientifico para impactar o dia a dia da empresa”

Por  MoneyLab -

O tempo de você viajar e procurar diretamente por um hotel acabou. Atualmente quando se programa uma viagem, muitas pessoas vão direto para o Airbnb, uma plataforma aberta e online para o aluguel de casas, apartamentos, quartos e qualquer outro tipo de hospedaria, que se tornou a favorita entre jovens que procuram opções mais baratas e autênticas para acomodação em viagens.

Por trás do enorme sucesso do site está uma série de práticas de Growth Hacking, método que consiste na adoção de práticas que visam alavancar os resultados de uma empresa através da análise de processos, elaboração e aplicação de testes e experimentos para a melhoria de determinada área ou setor.

“É um método baseado em dados e métodos que se utiliza do pensamento cientifico para impactar o dia a dia da empresa”, diz João Victor, COO e sócio do Gestão 4.0 Educação. “É uma busca por alavancas de crescimento com senso crítico para entender oportunidades de mudança e fazer com que seu negócio cresça.”

Airbnb: atacando os problemas para encontrar soluções

O Growth Hacking consiste em diagnosticar problemas da empresa e sugerir diagnósticos que podem sanar esta questão. Para Joe Gebbia e Brian Chesky, seus problemas em 2007 era pagar o aluguel de seu apartamento em San Francisco, nos Estados Unidos.

A solução que encontraram foi a conferência da Industrial Designers of America: o evento ocorrido em San Francisco lotou todos os hotéis da região, fazendo com que a dupla decidisse comprar três colchões e anunciá-los no site airbadandbreakfast.com. Por US$ 80 por noite, eles conseguiram três “locatários” das camas. O negócio deu certo e a dupla continuou a fazer estes pequenos aluguéis.

A dupla continuou com o modelo de negócios e em 2009 viram a necessidade de crescer. Para tal colocaram as cidades de Nova York e Boston como meta de expansão. Ao analisar os anúncios que o site tinha na cidade, viram que a maioria das fotos dos anúncios era feita com câmeras amadoras ou de celular.

A solução encontrada por Gebbia e Chesky foi viajar até o local munidos de câmeras semi-profissionais para voluntariamente tirar fotos melhores dos locais anunciados. A medida fez com que o site dobrasse suas receitas em Nova York em pouco mais de 15 dias.

“Outros membros do Airbnb perceberam que fotos melhores atraem mais reservas e começaram a investir nisso,” explica João Victor.

Outro exemplo de Growth Hacking do Airbnb veio em 2010. Os líderes da plataforma perceberam que o público alvo do site estava no Craigslist, um site de classificados gerais. A estratégia foi colocar todos os anúncios do Airbnb no Craiglist, de maneira que quem clicasse no anúncio no site maior, era direcionado para a plataforma de hospedagens

A estratégia deu certo, já que as fotos de melhor qualidade do Airbnb atraíram os clientes do Craigslist.

“O Airbnb é um market place onde é necessário ter oferta e demanda. Um puxa o outro, sendo preciso escolher qual aumentar primeiro,” diz João Victor. “O gargalo do Airbnb era a oferta de imoveis, você só vai buscar uma hospedagem onde acredita que vai encontrar algo. A estratégia do Craigslist foi usada para aumentar a demanda com uma “oferta artificial”

Com a estratégia do Craigslist, o Airbnb foi capaz de “importar” a database de clientes de um concorrente para seu site.

Essa é só uma das práticas do Growth Hacking, que pode ser muito maior do que aumentar a base de clientes ou oferecer serviços exclusivos. O método é também uma filosofia de negócios que busca sempre procurar alavancas para seu negócio.

O assunto será abordado na live Growth Na Prática, que vai abordar o tema e tudo que envolve a utilização da técnica para alavancar vendas e reter clientes e busca desmistificar noções sobre a prática, como a de que ela só pode ser aplicada em empresas de tecnologia ou está restrita a área de marketing: o Growth Hacking é uma estratégia que pode ser aplicada a qualquer empresa dispostas a adotar a filosofia.

O evento ocorre no dia 26 de outubro e será 100% online e gratuito. Além de João Victor, a live contará com participação de Gabriel Costa, CMO da Singu e Dener Lippert, fundador e CEO da V4 Company. Inscreva-se agora.

Compartilhe