Israel faz ofensiva no norte de Gaza e bombardeia Rafah sem avançar

Ainda assim, o lento progresso da ofensiva israelense evidencia a dificuldade de alcançar o objetivo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu de erradicar o Hamas

Reuters

Soldado israelense perto da fronteira com Gaza 16/5/2024 REUTERS/Shannon Stapleton

Publicidade

Tanques de Israel avançaram para o coração de Jabalia, no norte de Gaza, nesta quinta-feira (16), enfrentando foguetes antitanque e bombas de morteiro dos militantes concentrados lá, enquanto no sul, suas forças bombardearam Rafah sem avançar, disseram militantes e moradores.

O lento progresso da ofensiva israelense, mais de sete meses depois de ter sido motivada por um ataque mortal do Hamas na fronteira, evidencia a dificuldade de alcançar o objetivo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu de erradicar o grupo militante.

As alas armadas do Hamas e de sua aliada, Jihad Islâmica, têm sido capazes de lutar em toda a Faixa de Gaza, usando túneis fortificados para realizar ataques tanto no norte – o foco da invasão inicial de Israel – quanto em novos campos de batalha, como Rafah.

Continua depois da publicidade

Israel afirma que quatro batalhões do Hamas estão agora em Rafah, juntamente com os reféns sequestrados durante o ataque de 7 de outubro, mas enfrenta pressão dos Estados Unidos, da Europa e das Nações Unidas para não invadir a cidade, onde centenas de milhares de civis palestinos deslocados estão abrigados.

“A operação em Rafah ainda é limitada em termos de espaço e de alvos”, disse o porta-voz militar, tenente-coronel Nadav Shoshani, na quinta-feira, acrescentando que os ataques foram baseados em informações específicas sobre a atividade dos militantes.

Mais de 35.000 habitantes de Gaza já foram mortos, de acordo com as autoridades de saúde do enclave costeiro administrado pelo Hamas, e a desnutrição é generalizada, enquanto os esforços de ajuda internacional estão bloqueados pela violência.

Continua depois da publicidade

Israel afirma que precisa eliminar o Hamas para sua própria proteção, após a morte de 1.200 pessoas em 7 de outubro, e para libertar os 128 reféns ainda mantidos, de um total de 253 sequestrados pelos militantes, segundo seus registros.

Os Estados Unidos ancoraram um píer flutuante temporário em uma praia de Gaza na quinta-feira para impulsionar a entrega de ajuda, mas ainda não estava claro como ela seria distribuída, dados os desafios que têm atormentado as Nações Unidas e os grupos de ajuda humanitária há meses.

Principal mercado de Jabalia sob fogo

Israel declarou o fim das principais operações no norte de Gaza meses atrás, ao mesmo tempo em que prometia retornar para impedir o reagrupamento do Hamas.

Continua depois da publicidade

Nesta quinta-feira, cerca de uma semana após o retorno, os tanques israelenses bombardearam fortemente o principal mercado no coração de Jabalia, um campo de refugiados com décadas de existência, e várias lojas foram incendiadas, disseram moradores e a mídia do Hamas.

Mais cedo, o braço armado do Hamas afirmou que seus combatentes em Jabalia haviam destruído um veículo de transporte de tropas israelense com um foguete antitanque Al-Yassin 105 de fabricação local, deixando membros da tripulação mortos e feridos. A Reuters não conseguiu verificar imediatamente a declaração e não houve comentário imediato de Israel.

“Eles estão bombardeando como loucos, destruindo as casas e o principal mercado do acampamento”, disse um dos moradores do acampamento à Reuters por meio de um aplicativo de bate-papo.

Continua depois da publicidade

“Parece que eles estão agindo dessa forma por causa das operações de resistência que queimaram seus soldados”, acrescentou ele, recusando-se a dar um nome por medo de represálias.