Netanyahu rejeita apoio da ONU à candidatura palestina à condição de Estado

Assembleia Geral das Nações Unidas apoiou na sexta-feira por maioria esmagadora candidatura palestina para se tornar membro de pleno direito da ONU, mas Netanyahu criticou o que chama de "um Estado de terror"

Equipe InfoMoney

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu - 13/5/2024 (Gil Cohen-Magen/Pool via Reuters)

Publicidade

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta quarta-feira (15) que seu governo rejeitou por unanimidade a decisão da ONU de promover o reconhecimento de um Estado palestino, informou seu gabinete.

“Não permitiremos que eles estabeleçam um Estado de terror a partir do qual possam nos atacar ainda mais”, disse Netanyahu. “Ninguém impedirá que nós, Israel, exerçamos nosso direito básico de nos defender – nem a Assembleia Geral da ONU nem qualquer outra entidade.”

A Assembleia Geral das Nações Unidas apoiou na sexta-feira (10) por maioria esmagadora uma candidatura palestina para se tornar membro de pleno direito da ONU, reconhecendo-a como qualificada para aderir e recomendando ao Conselho de Segurança que “reconsidere o assunto favoravelmente”.

Continua depois da publicidade

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

O jornal The Times of Israel lembrou que a votação dos 193 membros da Assembleia Geral foi uma pesquisa global de apoio à candidatura palestina para se tornar membro pleno da ONU – uma medida que efetivamente reconheceria um Estado palestino.

A assembleia aprovou uma resolução com 143 votos a favor e nove contra – incluindo EUA e Israel -, enquanto 25 países se abstiveram. Isso não dá aos palestinos a plena adesão à ONU, mas os reconhece como qualificados para aderir.

Continua depois da publicidade

(Com Reuters)