Mudança nos remédios

Senado aprova criação de bula digital e projeto segue para sanção; veja como vai funcionar

QR Code será impresso na embalagem do remédio, e formato digital deve facilitar a leitura e permitir a conversão do texto em áudio e/ou vídeo

Por  Agência Brasil -

O Senado aprovou na terça-feira (12) um projeto de lei que regulamenta a bula eletrônica de medicamentos, e agora o projeto segue para sanção presidencial.

O projeto não prevê o fim da bula impressa, que vem junto ao medicamento dentro da embalagem. Caso seja sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), a lei entrará em vigência imediatamente após sua publicação.

Com isso, os laboratórios deverão inserir um QR Code nas embalagens para acesso à versão digital da bula, com informações sobre a sua composição, utilidade, dosagens e as suas contra-indicações.

Leia também:

As bulas digitais deverão ser hospedadas em links autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e o laboratório poderá inserir outras informações, além do conteúdo completo e atualizado, idêntico ao da bula impressa.

O formato deve facilitar a leitura e a compreensão e deve permitir a conversão do texto em áudio e/ou vídeo mediante o uso de aplicativo adequado.

“Concordamos com o autor do projeto, segundo o qual uma versão digital da bula pode conter mais detalhes, sendo mais explicativa, além de permitir o emprego de recursos multimídia – que trarão acessibilidade às pessoas com deficiência – e de possibilitar a economia de papel”, argumentou o relator do projeto no Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS).

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

Compartilhe