Recebeu PIS/Pasep em 2022? Veja como declarar os valores no Imposto de Renda deste ano

Abono é um benefício anual no valor máximo de um salário mínimo pago a trabalhadores que recebem, em média, até 2 salários mínimos mensais

Equipe InfoMoney

Publicidade

Se você recebeu PIS/Pasep em 2022, precisa informar os valores no Imposto de Renda 2023? É recomendável, se você estiver obrigado a declarar.

O Abono do PIS/PASEP é um benefício anual no valor máximo de um salário mínimo, e é pago a trabalhadores que recebem, em média, até dois salários mínimos de remuneração mensal.

Na maioria dos casos, as pessoas que recebem o abono do PIS não entram na obrigatoriedade da entrega da declaração de IRPF, mas é preciso ter atenção a isso.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Muitas pessoas têm dúvidas sobre as questões fiscais relacionadas ao PIS/Pasep — com a temporada de declaração do Imposto de Renda 2023 já em vigor, as preocupações sobre como informar os valores ao Fisco naturalmente aumentam.

Vale lembrar que neste ano a declaração de Imposto de Renda segue entre 15 de março e 31 de maio.

O InfoMoney separou as principais informações sobre o tema. Confira:

Continua depois da publicidade

O que é PIS/Pasep?

O PIS e o Pasep são contribuições sociais pagas ao trabalhador pela iniciativa privada e pelo setor público, respectivamente. Ambas têm o objetivo de distribuir melhor a renda entre os trabalhadores que recebem menores salários.

O calendário de pagamentos dos dois programas está em vigor. O calendário do PIS/Pasep é referente ao ano de 2021 e começou a ser realizado em 15 de fevereiro e vai até 17 de julho deste ano, conforme o mês de aniversário (PIS) ou número de inscrição (Pasep).

O InfoMoney tem guia completo que mostra o funcionamento dos benefícios.

PIS/Pasep são isentos

Assim como outros benefícios, como auxílio-doença, seguro-desemprego e valores do FGTS, os valores de PIS/Pasep não sofrem tributação. Apesar disso, segundo Mônica Porto, contadora do SW Contabilidade e parceira da Omie, empresa de serviços em nuvem para contadores, estes valores, mesmo que isentos, precisam ser declarados.

“Se a soma de todos os recebimentos isentos, incluindo o PIS/Pasep, ultrapassar R$40 mil reais no ano, o trabalhador está obrigado a fazer a declaração e, caso não envie, poderá pagar multa”, explica.

Por isso, é importante informá-los à Receita Federal na hora da declaração para evitar cair na malha fina. Na prática, a finalidade do envio da declaração anualmente é, entre outros pontos, apurar o valor do imposto devido ou a ser restituído, além de identificar como o patrimônio foi constituído e como os recursos recebidos foram aplicados.

Nesse sentido, os rendimentos isentos também explicam o acréscimo patrimonial do contribuinte.

Quem precisa informar os valores de PIS/Pasep?

Os valores recebidos do PIS/Pasep, por si só, não geram obrigatoriedade de entrega da declaração anual de 2022. No entanto, caso o contribuinte se enquadre nos critérios de obrigatoriedade de entrega, deverá também declarar os valores recebidos dos programas ao longo de 2022.

Assim, se você se enquadra em um dos critérios abaixo está obrigado a declarar o IR 2023. Veja:

Como declarar os valores de PIS/Pasep?

Para quem precisar informar os valores, o passo a passo é simples:

Leia Mais: