Radar: Usiminas pode vender ativos; Petrobras enfrenta atrasos de equipamentos

Eleições gregas geram um alívio momentâneo quanto ao futuro da Zona do Euro, mas incertezas ainda pressionam mercados

Por  Ana Carolina Cortez

SÃO PAULO – As eleições gregas finalmente chegaram, dissolvendo as incertezas quanto à saída do país da Zona do Euro. Entretanto, a notícia não foi suficiente para animar os mercados. Após abrirem em alta, as principais bolsas da Europa perdem força. Além disso, a aversão ao risco é visível no mercado secundário de títulos da dívida pública espanhola. O rendimento exigido pelos investidores para os papéis com vencimento em dez anos já ultrapassou a barreira psicológica dos 7%.

Mesmo com a vitória dos partidos pró-União Europeia na Grécia, as incertezas quanto ao futuro da ilha seguem assombrando os mercados. A renegociação dos termos do resgate pode ser um assunto em pauta, enquanto os dois principais partidos vencedores, o Nova Democracia e o Pasok, já sinalizaram que pretendem realizar alguns ajustes no acordo.

A Comissão Europeia, o FMI (Fundo Monetário Internacional) e BCE (Banco Central Europeu) já emitiram um comunicado anunciando que voltarão à Grécia para negociações assim que um novo governo for anunciado.

Valor da Redecard
A Redecard (RDCD3) divulgou na noite de sexta-feira (15) o resultado do laudo de avaliação feito pelo Credit Suisse referente à OPA (Oferta Pública de Aquisição) que o Itaú Unibanco (ITUB4). Segundo análise do banco suíço, o valor econômico das ações de emissão da Redecard ficou entre R$ 34,66 e R$ 38,12.

A notícia serve de alívio para quem estava receoso com uma possível desistência do Itaú Unibanco em realizar a OPA, já que no final de abril o banco anunciou que iria desistir da oferta caso tivesse que pagar mais de R$ 35 por ação da credenciadora de cartões. Atualmente, os papéis RDCD3 estão cotadas a R$ 31,70, valor que está entre 9,34% e 20,25% em relação aos valores mínimo e máximo avaliados pelo Credit Suisse.

Usiminas no vermelho
Segundo informações do jornal O Valor Econômico desta segunda-feira (18), a situação financeira da Usiminas (USIM3, USIM5) ficou mais crítica neste trimestre, o que deve levar a companhia a fazer um aumento de capital de R$ 1,5 bilhão, além da venda de alguns ativos. A expectativa é que o segundo trimestre venha ainda mais fraco que seu predecessor, quando a empresa registoru prezuízo de R$ 37 milhões.

Petrobras enfrenta atrasos de equipamentos
Um dos entraves ao plano estratégico da Petrobras (PETR4), desenhado para o quinquenio 2012-2016, será o atraso na entrega de equipamentos que a empresa vem enfrentando. Segundo informações do jornal Valor Econômico, o problema afetará o segmento de pré-sal, interferindo nos planos de aumento da produção de petróleo e gás nos campis da bacia de Santos.

Pão de Açúcar em crise
A apenas quatro dias da data em que Abilio Diniz passará o controle do Pão de Açúcar (PCAR4)aos franceses do Casino, diversas intrigas esquentam o clima do grupo. O assunto foi notícia em três grandes jornais do país, o Valor Econômico, o Estado de S.Paulo e O Globo. 

A briga entre Diniz e Jean-Charles Naouri, o sócio-presidente do Casino, é apenas a ponta do iceberg de um conflito generalizado. A família Klein, que vendeu a Casas Bahia ao Pão de Açúcar há três anos, já avalia formas de se desfazer da sociedade. Além disso, para contribuir com o clima de tensão, a bilionária Lily Safra entrou com pedido de arbitragem para cobrar maiis R$ 200 milhões do grupo pela venda do Ponto Frio em 2009.

Hypermarcas aprova transferência de ativos da Brainfarma
A Hypermarcas (HYPE3) aprovou, em assembleia, a reincorporação de papéis da Brainfarma. A aprovação resulta na redução do capital social da companhia no valor de R$ 7,2 milhões, mediante o cancelamento de 678 mil ações ordinárias. A reincorporação dos ativos pretende tornar a Brainfarma uma subsidiária integral, sem perdas para os acionistas da Hypermarcas. 

Embraer elege novos vice-presidentes
A Embraer (EMBR3) substituiu Antonio Júlio Franco por Jackson Schneider no cargo de vice-presidente executivo de pessoas. A posição incluirá as áreas de sustentabilidade sócio-ambiental e de relações institucionais. Assim, o novo nome do cargo será Vice-Presidência Executiva de Pessoas, Relações Institucionais e Sustentabilidade.

Além disso, a companhia criou o cargo de vice-presidente executivo de serviços corporativos, que deverá ser ocupada pelo antigo diretor Flávio Rímoli. Ele será responsável por áreas de tecnologia da informação, segurança estratégica e centro de serviços compartilhados da fabricante de aeronaves.

Itautec alienará ações da Camargo Corrêa
A Itautec (ITEC3) deverá alienar suas ações da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCIM3) durante OPA (Oferta Pública de Ação), pelo valor de R$ 5,50 por papel. A empresa é acionista da construtora e possui, atualmente, 2,7% do capital da companhia.

A Camargo Corrêa pretende fazer o cancelamento de registro de companhia aberta do seu braço de desenvolvimento imobiliário. A compra deve chegar a 38,25 milhões de papéis, ou 33,85% do capital social.

Oferta de ações da Suzano começa nesta segunda
O acionista que quiser participar da oferta de ações da Suzano (SUZB5), poderá fazer, a partir desta segunda, o pedido de reserva. A companhia anuciou que emitirá mais de 350 milhões de ações, dentre elas ordinárias e preferenciais classe A e B.

Sabesp contrata formador de mercado
A Sabesp (SBSP3) contratou o Bradesco (BBDC3, BBDC4) como formador de mercado para debêntures simples, não conversíveis em ações. Segundo a companhia, o objetivo é “fomentar a liquidez dos papéis no ambito da Cetip”.

Teka fecha filial em Itapira
A TekaTecelagem Kuehnrich (TEKA3, TEKA4) informou que encerrou na última sexta-feira (15) as atividades de sua filial em Itapira, unidade de finalização de edredons. Segundo a companhia, a decisão veio do “processo de reestruturação pelo qual vem passando, visando a manter competitividade no mercado nacional e internacional”.

Compartilhe