Em minhas-financas

Gastos extravagantes, e muitas vezes fúteis, são os grandes vilões do orçamento

Quanto mais cheios de capricho, ou seja, quanto mais dependentes de coisas, mais pobres somos, afirma escritor

SÃO PAULO - Diante da conta do banco no vermelho, da mensalidade da escola das crianças atrasada e do cartão de crédito estourado, qual a sua reação?

    1 - Depois da academia, eu resolvo
    2 - Agora estou com pressa, tenho cabeleireiro, posso pensar mais tarde?
    3 - Assim que sair do shopping, penso no assunto

Seja lá qual for a sua resposta, é melhor olhar para suas finanças com mais cuidado. Será que, com tantas contas a pagar, é prioridade continuar arcando com a mensalidade da academia ou com as freqüentes idas ao cabeleireiro? E as comprinhas de última hora? Mesmo na promoção, elas podem acabar com o seu orçamento.

Consumismo
Diante de uma situação de dificuldade financeira, a primeira coisa a fazer para retomar a saúde do seu orçamento é cortar despesas. Alimentação, saúde e educação são gastos necessários, que devem ser priorizados diante de outros.

A mensalidade da academia, da TV a cabo, a assinatura da revista... são hábitos saudáveis, que colaboram para seu bem-estar físico e mental, mas será que os fins justificam os meios, ou seja, os gastos necessários para manter estas atividades justificam deixar sua conta todo mês no vermelho?

"Quanto mais cheios de capricho, ou seja, quanto mais dependentes de coisas, mais pobres somos", afirma o autor do livro "Rico sem Dinheiro", o alemão Alexander von Schönburg.

Criatividade em prol da saúde financeira
Tentações ao consumismo estão em toda parte. Na televisão, nas revistas, nos vizinhos, na esquina da sua casa. No entanto, que tal conter o impulso e rever seus hábitos, com alternativas criativas e bem-humoradas ao modo de vida extravagante e muitas vezes fúteis que o consumismo impõe?

Por exemplo: para aqueles adeptos da malhação diária. Que tal, em vez de gastar uma boa parte de seu salário na academia, optar por exercícios ao ar livre? Caminhadas no parque podem ser uma boa alternativa, prazerosa, divertida e relaxante. Para os dias mais frios, que tal juntar as amigas na garagem de casa ou no salão do prédio e preparar um bom circuito de atividades? Além de divertido, o custo será zero para seu bolso.

Outras medidas simples também podem ajudar no controle de seu dinheiro, sem causar grande impacto no seu modo de vida:

  • Carro: avalie a real necessidade de ir todos os dias dirigindo ao trabalho. Além do combustível, existem os gastos com estacionamento, manutenção do veículo etc. Que tal revezar com um colega de trabalho? A despesa, no mínimo, cairia pela metade.

  • Celular: busque, nas operadoras, planos de acordo com seu perfil. Minutos ou mensagens gratuitas, cadastro de chamadas frequentes que garantem descontos etc.

  • Cabeleireiro: se você costuma ir toda a semana ao salão, que tal reduzir para uma vez a cada quinze dias? No mínimo, a despesa cairia 50%.

Talvez não seja fácil no início, mas pode ser uma boa alternativa para chegar ao fim do mês sem dívidas e, se tudo der certo, com dinheiro no bolso!

 

Contato