Pressão

Mobilização de auditores da Receita avança e atinge portos de Rio e Itajaí (SC)

Terminal de Santos (SP) é o mais impactado e acumula cargas retidas por causa de ato dos servidores, que cobram reajuste salarial do governo Bolsonaro

Por  Estadão Conteúdo -

O diretor-executivo da Associação Brasileira dos Terminais Retroportuários e das Transportadoras de Contêineres (ABTTC), Wagner Souza, disse, nesta sexta-feira (7), que seus associados têm relatado atrasos na liberação de cargas nos portos de Santos, Rio de Janeiro e Itajaí por causa da paralisação de auditores fiscais da Receita Federal.

“As informações passadas por nossos associados são de que há mais critérios para as conferências de cargas, o que aumenta o tempo para a sua realização”, afirmou ele, que não soube precisar o aumento de tempo para a liberação das mercadorias. “Uma pequena parte da conferência ocorre na retroárea.”

Os auditores fiscais da Receita Federal começaram a realizar operação-padrão no dia 23 para pressionar o governo federal a regulamentar o pagamento de um “bônus de eficiência” à categoria, entre outras demandas.

“Entendemos como justas as reivindicações da categoria, principalmente quanto à realização de novos concursos públicos para ocupar as vagas deixadas por servidores que se aposentaram. Esperamos que o governo seja breve no encontro de uma solução plausível para o problema”, disse ele.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe