Inadimplência: 20% dos consumidores com cartão de crédito estão endividados

Levantamento do IBOPE Inteligência mostra que o endividamento é maior entre brasileiros de classe média

SÃO PAULO – De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, 20% dos brasileiros que possuem cartões de crédito estão endividados. Essas dívidas se configuram no crédito rotativo, no parcelamento da fatura ou na inadimplência.

Ainda segundo os dados do levantamento, a inadimplência é maior entre consumidores de classe média. Enquanto 24% dos brasileiros da classe C estão com dívidas referentes aos seus cartões de crédito, apenas 9% dos consumidores de classe A não pagaram o que devem.

O Ibope informou que o nível de endividamento é baseado no não pagamento da última parcela do cartão.

Inadimplência

De acordo com o diretor de marketing de cartões do Itaú, Fernando Chacon, a inadimplência nos cartões de crédito tem sua causa relacionada à crise financeira que atingiu as economias de todo o mundo em 2008.

“A crise causou problemas de liquidez no crédito nacional, e com isso, os juros aumentaram e os prazos para o pagamento de empréstimos diminuíram. Porém, não houve alterações nos cartões de crédito, o que fez com que mais brasileiros utilizassem o plástico para driblar o aperto do crédito”, explicou recentemente, durante coletiva de divulgação de dados do setor.

Ainda segundo Chacon, como os consumidores nacionais passaram a utilizar mais o cartão após o agravamento da crise, que aconteceu em setembro deste ano, é bem provável que os reflexos desse uso apareçam mais fortemente em 2009, o que deve aumentar a inadimplência no próximo ano.

“Neste ano ainda tivermos um cenário bastante positivo. Uma pesquisa da Itaucard mostrou que, enquanto em 2006 os atrasos no pagamento da fatura eram de 7,6%, no mesmo período de 2008 esse número caia para 4,6%. Porém, vemos, sim, uma deterioração da inadimplência para 2009”.

O executivo, porém, acredita que em 2010 a situação já estará recuperada. “Para 2009 esperamos maior inadimplência, mas temos uma previsão bastante otimista já para 2010”.