RADAR INFOMONEY Usiminas lucra R$ 1,2 bi: mas por que não empolga tanto? Confira no programa desta sexta

Usiminas lucra R$ 1,2 bi: mas por que não empolga tanto? Confira no programa desta sexta

Cartão de crédito: facilidade de comprar e não pagar na hora requer disciplina

Isso porque, segundo a Pro Teste, o CET cobrado no crédito rotativo do cartão pode chegar a quase 600% ao ano

SÃO PAULO – A facilidade de comprar e não pagar no ato da compra, fazendo uso do cartão de crédito, requer muita disciplina do consumidor, segundo alerta da Pro Teste – Associação de Consumidores.

Isso porque, de acordo com um estudo realizado pela entidade com nove instituições, a taxa de juros cobrada pelo cartão, considerando o CET (Custo Efetivo Total), pode chegar a quase 600% ao ano no rotativo.

Outras variações

A Associação, que estudou os juros cobrados em nove cartões de seis grandes instituições financeiras presentes no País, apurou ainda que, apesar de menores do que os juros no rotativo, o CET cobrado no parcelamento de compras e de fatura também pesam bastante no bolso do usuário, atingindo, no primeiro caso, 397,23% e 492,99%, no segundo.

Além de muito cuidado com o rotativo e o parcelamento de compras e faturas, para não comprometer as finanças, o consumidor também deve ter atenção com a possibilidade de saque, seja aqui, seja no exterior, já que os juros deste tipo de operação podem chegar a 443,88% ao ano.

Por fim, alerta a entidade, o consumidor deve ter cuidado especial com o limite de seu cartão de crédito, pois, apesar de muitos cartões permitirem que o limite seja ultrapassado, a maior parte cobra uma tarifa quando isso acontece, que varia de R$ 10 a R$ 16.