Finanças descentralizadas

Valor investido em projetos DeFi do Ethereum dispara 964% e atinge US$ 7,3 bilhões no 1º tri

No entanto, o aumento da média de endereços ativos diariamente foi insignificante, sugerindo que a maior parte do crescimento veio de usuários existentes

Por  CoinDesk

Pesquisa mostra que o crescimento de alguns aplicativos e serviços desenvolvidos na rede Ethereum (ETH) mais que dobraram no primeiro trimestre do ano em comparação ao ano passado, mesmo com outras blockchains sendo favorecidas por investidores.

Segundo relatório de analistas da Bankless, o valor bloqueado na segunda camada, ou serviços de escalabilidade desenvolvidos no Ethereum, aumentou 964%, chegando a US$ 7,3 bilhões no primeiro trimestre de 2022. Em 2021, esse valor era de US$ 686,9 milhões. A atividade na Arbitrum e na Optimism, duas redes populares de segunda camada, gerou pouco mais de US$ 15 milhões em taxas para a rede Ethereum.

A oferta de stablecoins em circulação disparou 188%, chegando a US$ 122 bilhões, ao passo que os volumes de negociações à vista em exchanges descentralizadas excederam US$ 3,9 trilhões no último ano. Muito disso veio do Tether (USDT), cuja oferta passou de US$ 50 bilhões para US$ 83 bilhões, segundo a CoinGecko.

Os volumes em exchanges descentralizadas (DEX), que dependem de contratos inteligentes em vez de terceiros para processar negociações de usuários, cresceram 667%. Os volumes de DEX para ativos do mercado de spot subiu para US$ 3,9 trilhões negociados no último ano, enquanto volumes de futuros aumentaram 2.704%, partindo de US$ 7,4 bilhões para US$ 209,1 bilhões. Parte dessas negociações veio de DEXs com base em segunda camada, como dYdX e Loopring (LRC).

No entanto, o número de endereços ativos interagindo com a rede Ethereum diariamente cresceu apenas 4%. Segundo analistas, esse dado pode sugerir que a maioria da atividade no Ethereum veio de usuários existentes, e não de novos entrantes no mercado.

“Embora o Ethereum tenha alcançado um crescimento enorme nos aspectos mais importantes, o aumento foi discreto em termos de usuários ativos diariamente, que subiram apenas 4%”, afirmou Egor Volotkovich,  diretor da ferramenta de soluções cross-chain EVODeFi. “Isso não quer dizer que o custo do ETH no primeiro trimestre foi alto demais para os usuários, dado que não observamos nenhuma subida de preço significativa nesse tempo.”

Volotkovich explicou que a baixa atividade pode ser atribuída à competição crescente em torno da rede Ethereum, com Terra (LUNA), BNB Chain (BNB) e Avalanche (AVAX), por exemplo.

“O número de concorrentes está aumentando consideravelmente e, em vez de usar apenas a Ethereum, investidores estão escolhendo diversificar suas carteiras para alcançar o melhor desse próspero mundo de DeFi, NFTs e Web 3”, disse.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe