Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

VALE3: Ações da Vale operam com tendência de baixa após queda de 13% no ano, aponta análise técnica

Após saltarem na reta final do ano passado, as ações devolvem parte destes ganhos neste começo de 2024

Rodrigo Petry

Ações da Vale (VALE3) caem em 2024, após disparada na reta final do ano passado. Gráfico diário de VALE3. Fonte: Clear Trader

Publicidade

As ações da Vale (VALE3) acumulam queda de 13% neste ano e se mantêm em tendência de baixa, segundo a análise técnica. Nesta quinta-feira (8), as ações da mineradora caem 0,4%, cotadas a R$ 66,50, por volta das 13h45.

Entre os fatores atribuídos por analistas para o declínio das ações, neste ano, está a desvalorização do minério de ferro, assim como as preocupações dos investidores, sobretudo estrangeiros, de possíveis interferências do governo na Vale.

A principal tentativa do governo foi a de acomodar o ex-ministro petista Guido Mantega na Vale. No final de janeiro, porém, Mantega teria desistido. Mas o estrago nas ações já estava feito e os papéis: no 1º mês do ano, o papel caiu 12,2%.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Isso representou um “balde de água” fria nos investidores, que viram as ações da Vale saltarem 25%, entre agosto e dezembro do ano passado. Inclusive, os papéis da mineradora se aproximavam da sua máxima histórica.

VALE3: Análise técnica

Do ponto de vista da análise técnica, as ações encontram-se em tendência de baixa, seja no curto, no médio ou no longo prazos. O Índice de Força Relativa (IFR-14), por sua vez, opera em nível de neutralidade.

Para o analista técnico Rodrigo Paz, as ações da Vale, com base no fechamento do dia 7/2, aos R$ 66,80, operam com as seguintes regiões de suporte: R$ 65,00 (1), R$ 60,00 (2) e R$ 57,00 (3). As resistências estão em R$ 67,00 (1), R$ 69,00 (2) e R$ 78,20 (3).

Analisando as ações da Vale no médio prazo, por meio do gráfico semanal, Paz aponta que há um movimento descendente no ativo, com forte baixa neste início de 2024, somando queda próxima a 13%.

“O ativo vem rompendo regiões importantes de suporte, e mostra que ainda poderá testar regiões mais baixas. Negocia atualmente abaixo da média de 200 períodos, mantendo-se abaixo poderá buscar a importante faixa de suporte na região dos R$ 60,00, e caso rompa esta tende a intensificar ainda mais o movimento baixista, a fim de buscar as regiões de R$ 57,20 e alvo mais longo nos R$ 52,00”, analisa.

Para que retome movimento de alta, segundo ele, será necessário VALE3 superar as médias curtas, na faixa de R$ 70,00, para então buscar mirar resistência nos R$ 78,20. “Esse rompimento se tornaria muito interessante para ganhar fôlego comprador e buscar o topo na faixa de R$ 90,00”, assinala.

Gráfico semanal de VALE3. Fonte: Nelogica. Elaboração Técnica: Rodrigo Paz

Vale: curto prazo

Já no curto prazo, acrescenta Paz, nota-se as médias móveis mais inclinadas para baixo e com potencial para continuidade.

“Atualmente, o ativo está rompendo a faixa de suporte na média de 200 períodos, o que poderá impulsionar o movimento baixista. Seguindo o fluxo vendedor, o próximo alvo é na região de R$ 65,00, que se rompida poderá buscar a forte região dos R$ 60,00, com alvo mais longo no suporte em R$ 57,00.”

Por fim, para voltar a subir, reforça o analista, será necessária a entrada de bom fluxo comprador, para reverter este movimento, de tendência de baixa.

Conforme ele, inicialmente, o ativo tem que superar médias de curto prazo nos R$ 67,00 e R$ 69,00 para então buscar último topo deixado na faixa de R$ 78,20. 

Gráfico diário de VALE3. Fonte: Nelogica. Elaboração Técnica: Rodrigo Paz