Radar InfoMoney

Usiminas (USIM5) tem produção recorde em 2021, Vale (VALE3) confirma conversa com Anglo e mais assuntos

Veja o que vai movimentar o noticiário corporativo nesta quarta-feira (29)

Por  Equipe InfoMoney -

No Radar InfoMoney desta quarta-feira (29) destaque para Usiminas, que informou ter registrado produção recorde de sua área de mineração, à Vale que confirmou conversas com Anglo American para desenvolvimento de parceria em projeto em Minas Gerais e à Petrobras, que finalizou a venda de concessões no Espírito Santo.

Usiminas (USIM5)

A Usiminas comunicou na terça-feira que sua controlada Mineração Usiminas ultrapassou a marca de 9 milhões de toneladas de produção de minério de ferro em 2021, um novo recorde histórico.

A empresa também comunicou que encerrou em 26 de dezembro o ciclo de uso de barragens para a disposição de rejeitos gerados no beneficiamento de minério de ferro, migrando definitivamente para o “dry stacking” um novo sistema de disposição de rejeitos.

Vale (VALE3)

A mineradora Vale afirmou que teve conversas preliminares com a Anglo American sobre a possibilidade de desenvolver, em parceria, recursos minerários do Projeto Serpentina, em Minas Gerais.

Esta seria uma forma de potencializar a infraestrutura já existentes nas operações de ferro do projeto Minas-Rio, da Anglo American.

As informações foram prestadas em resposta à reportagem recente da Bloomberg de que haveria interesse da Vale em comprar fatia do projeto Minas-Rio, mas a mineradora ressaltou em comunicado que não há qualquer decisão a respeito.

Aliansce Sonae (ALSO3)

Em fato relevante, a Aliansce Sonae confirmou nesta manhã que iniciou conversas preliminares com a Br Malls sobre uma potencial combinação de negócios, porém afirma que não existe acordo, oferta ou proposta acerca da referida potencial transação.

Petrobras (PETR3;PETR4)

Nesta quarta-feira, a Petrobras informou que finalizou a venda para a Karavan Seacrest SPE Cricare da totalidade de sua participação em 27 concessões terrestres de exploração e produção localizadas no Espírito Santo, que, em conjunto, compõem o Polo Cricaré. O valor foi de por US$ 27 milhões, sendo que US$ 11 milhões foram pagos à Petrobras na assinatura do contrato de venda, que prevê ainda US$ 118 milhões em pagamentos contingentes relacionados a preços futuros do petróleo.

A Karavan O&G Participações detém 51% e a Seacrest Exploração e Produção de Petróleo os demais 49% do capital social da Karavan Seacrest SPE Cricare.

Além disso, a Petrobras informou que assinou  com a Shell Brasil, Repsol Sinopec Brasil e Petrogal contratos de compra e venda de gás para operações conhecidas como swap, em meio à abertura do mercado do insumo no Brasil. Por meio do contrato, a Petrobras processa o gás produzido pelas operadoras. Após esta etapa, o gás é novamente disponibilizado para as empresas transportarem até seus clientes.

Adicionalmente, informou ainda que inicia em parceria com a Vibra no próximo mês testes com o chamado diesel R5, que tem 5% de conteúdo renovável, como óleo de soja, a ser produzido na Refinaria Getúlio Vargas (Repar). 

Reajuste gás

Petrobras informou nesta terça-feira que vai recorrer de liminares judiciais que suspenderam reajustes do preço do gás natural acertados com distribuidoras em alguns Estados, de acordo com nota divulgada pela companhia.

Foram concedidas quatro liminares, sendo que uma foi negada, acrescentou a Petrobras. Um dos Estados que obteve liminar contra o reajuste foi o Rio de Janeiro.

Santander (SANB11)

O Santander Brasil comunicou na terça-feira que o conselho de administração aprovou a proposta da diretoria executiva da distribuição de juros sobre o capital próprio no valor bruto de R$ 249 milhões.

Terão direito aos proventos os acionistas até o final do 07 de janeiro de 2022; a partir de 10 de janeiro, as ações serão negociadas “Ex-JCP”. O valor será pago a partir de 3 de fevereiro de 2022, e se refere aos dividendos obrigatórios relativos a 2021.

Minerva (BEEF3)

A Minerva comunicou que a administração da Companhia, seguindo com a sua estratégia de aprimorar a estrutura de capital, concluiu o cancelamento de uma parcela dos títulos de 2028 e 2031.

A Minerva cancelou US$ 48,084 milhão em bonds de 2028, com cupom de 5,875%, e US$ 10,735 milhões em bonds de 2031, com cupom de 4,375%.

MRV (MRVE3)

A MRV concluiu a venda do empreendimento Lake Worth, na Flórida (EUA), pelo valor geral de venda de US$ 54 milhões, o que representa um recebimento líquido de US$ 27,7 milhões, lucro bruto de US$ 27,4 milhões, investimento sobre o capital investido (cap rate, em inglês) de 3,5% e rendimento sobre o custo (yield on cost) de 8,3%.

Suzano (SUZB3)

A Suzano comunicou aos acionistas que concluiu operação para alongar a dívida do contrato de pré-pagamento de exportação, no valor de US$ 750 milhões. O documento foi assinado em 12 de junho de 2019 pela empresa e por suas subsidiárias integrais, Suzano International Trade GmbH e Fibria Overseas Finance.

Assim, a data de vencimento da operação passa de 14 de junho de 2025, com amortizações em 2024 e 2025 para 14 de dezembro de 2027, com amortizações em 2026 e 2027. O contrato PPE permanece com as mesmas condições comerciais acordadas originalmente, ao custo de taxa Libor de 1,15% ao ano.

Diagnósticos da América (DASA3)

A Diagnósticos da América comunicou a compra de 100% das ações da Sall Participações e de, indiretamente, 99% de participação da Sall no Centro de Diagnóstico Boris Berenstein (CDBB), ambos com sede em Recife.

A Diagnósticos da América diz que o CDBB presta serviços médicos em radiologia, tomografia computadorizada, métodos de diagnóstico por imagem e atividades complementares, com 6 unidades em Recife e na região metropolitana. A Diagnósticos da América diz que, com a compra, pretende ampliar sua presença no estado de Pernambuco para mais de 80 unidades, considerando a atuação por meio das marcas Gilson Cidsom e Cerpe.

A empresa diz que espera por um laudo de avaliação sobre se a compra deve ser ratificada por assembleia geral.

Syn Prop e Tech (SYNE3)

A Syn Prop e Tech, marca da Cyrela Commercial Properties, comunicou na terça-feira que concluiu com a SPX Gestão de Recursos a operação para constituir uma joint venture de controle compartilhado visando a constituição de uma nova gestora de recursos de fundos de investimentos visando aplicação em ativos imobiliários.

Springs (SGPS3)

A Springs Global Participações comunicou na terça-feira que pediu à CVM o cancelamento da oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias de emissão de sua controlada Ammo Varejo. A Springs atribui a decisão a “condições de mercado”. O pedido de registro havia sido apresentado à CVM em 28 de julho.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

 

Compartilhe