Problemas

US$ 15 mi em tokens da Optimism foram roubados após erro em endereço de carteira

O roubo, que ocorreu após falha do airdrop dos tokens OP, fez o preço do token despencar

Por  CoinDesk -

A Optimism, solução de escalabilidade da Ethereum (ETH), anunciou hoje que US$ 15 milhões em tokens de governança OP foram roubados por criminosos.

A empresa pretendia enviar os fundos para o Wintermute, formador do mercado de criptomoedas, mas eles acabaram caindo nas mãos erradas quando o próprio Wintermute enviou o endereço de blockchain errado ao time da Optimism.

Em comunicado publicado ontem (8), Evgeny Gaevoy, CEO do Wintermute, se responsabilizou pelo roubo: “Nós cometemos um erro grave”.

As últimas semanas têm sido difíceis para a Optimism, cuja falha no airdrop dos tokens OP fez o preço do token cair nas horas seguintes. Segundo dados mais recentes do CoinMarketCap, o preço caiu mais 20% após as notícias de hoje.

O que aconteceu

Em post publicado ontem (8), a equipe da Optimism explicou que, há duas semanas, enviou 20 milhões de tokens OP para o Wintermute, em preparação para o aguardado airdrop do token.

Os fundos vieram do Partner Fund da Optimism Foundation. Gaevoy explicou que o dinheiro — que era um empréstimo — seria usado para “fornecer liquidez ao token OP quando fosse listado em exchanges centralizadas”.

O criminoso aproveitou a oportunidade quando o Wintermute forneceu o endereço de carteira errado para a Optimism. O dinheiro deveria ter ido para uma carteira de multi-assinaturas que pertence à equipe do Wintermute, mas o endereço enviado pelo formador de mercado era de uma carteira na Ethereum, e não de um endereço da Optimism.

Gaevoy declarou que o Wintermute tentou recuperar os fundos quando percebeu o que havia acontecido, mas o criminoso foi mais rápido: ele colocou os 20 milhões de tokens OP em uma nova carteira da Optimism.

O golpista retirou 1 milhão de tokens e trocou por Ethereum (ETH) e, então, transferiu esses fundos para um endereço desconhecido atrás da Tornado Cash, ferramenta que permite o envio e recebimento de fundos ofuscando as transações.

Os 19 milhões restantes ainda estão na carteira do criminoso. Enquanto permanecerem lá, ele vai ter a capacidade de votar nas propostas de governança da comunidade da Optimism.

“Ainda não sabemos por que ele não liquidou todos os tokens de uma vez”, disse Gaevoy em sua declaração. “Existe alguma esperança de que seja um hacker ‘do bem’… Ainda assim, no momento estamos operando sob a premissa de que não seja este o caso.”

O que é Optimism

A Optimism é uma chain de camada 2 da Ethereum — uma blockchain separada que processa, organiza e envia transações de volta à Ethereum. Ela ajuda a escalabilidade da rede de camada 1 com transações rápidas e taxas mais baixas.

Segundo o DefiLlama, o protocolo, que tem mais de US$ 350 milhões em valor total bloqueado (TVL, na sigla em inglês), virou manchete no mês passado quando anunciou que embarcaria numa aguardada transição para governança de comunidade.

Como parte da entrega, a Optimism planejou fazer o airdrop do novo token OP para membros ativos na comunidade da Ethereum.

Próximos passos

Após notar o erro, a Optimism enviou 20 milhões de tokens OP adicionais à Wintermute. Desta vez, a Wintermute foi obrigada a colocar US$ 50 milhões em USDC como colateral.

A decisão da Optimism de continuar trabalhando com a Wintermute foi alvo de críticas de alguns membros da comunidade de criptomoedas, assim como a decisão de falar sobre o ataque apenas duas semanas depois do ocorrido.

A Optimism disse que a decisão sobre como lidar com os fundos roubados vai ficar a cargo da comunidade. Em teoria, os fundos poderiam ser recuperados através de um “hard fork” da chain.

Já a Wintermute afirmou que está monitorando o endereço dos fundos e “vai comprar OP toda vez que o criminoso vender, para amenizar os danos ao protocolo”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe