Balanço negativo

Tesla deve ter baixa contábil de US$ 460 milhões com Bitcoin no 2º tri, diz analista

O valor das consideráveis participações em BTC da montadora elétrica caiu significativamente

Por  CoinDesk -

A Tesla, montadora de carros do empresário Elon Musk, pode apresentar uma baixa contábil pela perda do valor recuperável (impairment) de US$ 460 milhões em suas consideráveis ​​participações em Bitcoin (BTC), de acordo com nota divulgada nesta semana por Brian Johnson, analista do banco britânico Barclays. A empresa divulga seu balanço do segundo trimestre nesta quarta-feira (20) após o fechamento do mercado de ações.

Esse cálculo pressupõe que a empresa não vendeu ou aumentou sua exposição a BTC no trimestre, algo que não fazia desde o primeiro trimestre do ano passado.

A Tesla comprou US$ 1,5 bilhão em Bitcoin em janeiro de 2021, quando a criptomoeda era vendida por cerca de US$ 32.500. Foi a primeira vez que a empresa investiu na moeda digital.

No final do primeiro trimestre daquele ano, a montadora vendeu cerca de 10% de suas participações, mas não comprou ou vendeu nenhum de seus BTCs desde então.

Com o criptoativo terminando o segundo trimestre em US$ 18.731, Johnson, que está pessimista em relação à Tesla, espera que a companhia assuma um impairment em suas participações totais de cerca de US$ 460 milhões.

De acordo com as regras contábeis para ativos digitais, se o preço de um ativo cair durante um trimestre, a empresa deve relatar uma deterioração. Mas se o preço aumentar, isso não deve ser relatado como ganho no balanço, a menos que o ativo seja vendido.

Apesar do pessimismo, Johnson aumentou seu preço-alvo de US$ 370 para US$ 380 para os papéis da Tesla, com base em estimativas de ganhos um pouco mais altas no geral.

Analistas consultados pela empresa de dados financeiros FactSet esperam que a Tesla reporte lucros ajustados de US$ 1,81 por ação e US$ 16,5 bilhões em vendas no segundo trimestre.

As ações da Tesla estavam sendo negociadas a US$ 741,03 nesta tarde, com alta de 0,6%. No acumulado do ano, no entanto, os papéis caíram quase 30%.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe